sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Cavalo de Guerra




Através do cavalo protagonista conseguimos descobrir pequenas histórias interligadas a ele e à Primeira Guerra Mundial, o que para mim está muito bem conseguido. Várias personagens, uma guerra e um cavalo é o que esta excelente história nos dá.

"Cavalo de Guerra" (título nacional) está excelente, comovente e um pouco intimista, pois o espetador consegue sentir afeto por Joey, o cavalo. Este filme oferece-nos também uma mistura de emoções tais como medo, nervosismo e tristeza, tudo devido ao clima que se vivia durante esta era, mas também sentimos ternura, amor e felicidade.

Através da personagem Albert Narracott, interpretada por Jeremy Irvine, conseguimos notar uma diferença entre o início da guerra carregado de tristeza e o fim da guerra com alguma alegria. Steven Spielberg proporciona-nos uma perfeita mistura de sensações, emoções e sentimentos e fê-lo como um mestre.

Esta é ainda uma história sobre amor, amizade e confiança entre um rapaz e o seu cavalo. A película mostra-nos que a guerra tira e tem prejuízos, mas também nos oferece muitas coisas. Por causa de Joey conhecemos as pequenas histórias de Albert, do Coronel James Nicholls (Tom Hiddleston), de Michael Schröder (Leonard Carow), Günther Schröder (David Kross) e Emilie (Celine Buckens), entre outras personagens.

Peter Mullan, Emily Watson, Niels Arestrup, David Thewlis, Benedict Cumberbatch, Matt Milne e Robert Emms são outros dos nomes presentes nesta excelente história. O filme foi baseado no livro homónimo de Michael Morpurgo, publicado em 1982. "War Horse", título original, é um filme de 2011 e teve a sua estreia no nosso país a 23 de fevereiro.

"Cavalo de Guerra" foi perfeitamente dirigido por Steven Spielberg e tem argumento de Lee Hall e Richard Curtis. Esta é uma história com pequenas estórias, aconselho vivamente a verem. "War Horse" é dos poucos filmes que podia ser um pouco mais longo, o que serviria para aprofundar mais ou sobre a 1ª Guerra Mundial ou sobre algumas personagens.



5*

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

The Baytown Outlaws



"The Baytown Outlaws" é um filme interessante e que é divertido de se ver. Tem uma história boa, um elenco conhecido e ação. Apesar de não ser dos filmes mais violentos que já vi, a violência está lá.

Gostei da sua história e achei piada às controvérsias que os três protagonistas tiveram de passar para chegar ao seu destino, é um filme porreiro. Adorei a ideia de ter partes mais icónicas, feitas como se fosse uma banda desenhada, tal como aconteceu no filme "Kick-Ass - O Novo Super-Herói".

O peso da idade já se nota um pouco em Eva Longoria, mas está bela como sempre e gostei do seu desempenho na película. Contamos ainda no elenco com Billy Bob Thorton, Thomas Brodie-Sangster, Daniel Cudmore, Andre Braugher, Agnes Bruckner, Michael Rapaport, Clayne Crawford, Travis Fimmel, Zoe Bell e Paul Wesley, entre outros.

"The Baytown Outlaws" é um filme de 2012 dirigido por Barry Battles e tem o seu argumento a cargo do realizador e de Griffin Hood, aconselho este filme.



3*

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

A Família Addams



Este filme já é um clássico, lembro-me de o ter visto na televisão quando era criança e há uns dias revi-o finalmente e digo-vos que está muito bom. Gosto da história, das personagens e principalmente do tom sobrenatural que o filme tem.

"A Família Addams", título nacional, é um filme de 1991 que nos oferece personagens icónicas e que tem uma história engraçada. O filme consegue fazer uma boa mistura de humor negro, algum terror e comédia.

Christina Ricci conseguiu, com a sua personagem Wednesday, transmitir um tom misterioso e um pouco assustador. Anjelica Huston, Raul Julia, Christopher Lloyd, Dan Hedaya, Elizabeth Wilson, Dana Ivey, Judith Malina, Jimmy Workman e Christopher Hart são também essenciais para o desenrolar da história.

"The Addams Family", título original, foi realizado por Barry Sonnenfeld e tem o seu argumento a cargo de Caroline Thompson e Larry Wilson. É um filme para toda a família e para mim está muito bom, aconselho.



4*

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Alta Golpada



Este filme é divertido, mas tem muitos clichês. "Alta Golpada" (título nacional) tem uma história simples, que me fez rir e que me divertiu. Algumas das cenas que vimos no filme são parvas, porém outras são completamente hilariantes.

Um filme que nos fala de fraude e crise de uma maneira soft, cómica e divertida. Tudo começa quando Artur Shaw (Alan Alda) rouba milhões aos seus investidores e os mais atingidos pela fraude são os trabalhadores do prédio onde vive. Ben Stiller interpreta Josh Kovaks, um dos empregados lesados, que decide recuperar o dinheiro das suas pensões e assim nos oferece variadas sequências cómicas.

"Tower Heist" é um filme de 2011, realizado por Brett Ratner e com argumento a cargo de Adam Cooper, Bill Collage e Ted Griffin. No elenco contamos com Ben Stiller, Alan Alda, Eddie Murphy, Casey Affleck, Alan Alda, Matthew Broderick, Stephen Henderson, Téa Leoni, Michael Peña, Gabourey Sidibe e Nina Arianda, entre outros.

"Alta Golpada" é bom, mas poderia ser melhor. Poderiam ter dado mais ao filme e penso que havia meios para tal, há pontas soltas que deviam ter sido explicadas. Uma das cenas que mais gostei na película foi a do desfile de Ação de Graças, resumindo gostei do filme.



3*

domingo, 9 de dezembro de 2012

A Saga Twilight: Amanhecer Parte 2



Finalmente fui ver este filme ao cinema e está brilhante, adorei este final épico. "A Saga Twilight: Amanhecer Parte 2", título nacional, começa pouco depois da transformação de Bella (Kristen Stewart) em vampira.

Adorei o filme e o misto de sensações que este provocou em mim por ser o último da saga, sem dúvida uma grande história. Uma perfeita mistura de nostalgia, alegria, felicidade, saudades, medo, suspense e alívio foi o que a visualização deste filme me ofereceu, foi sem dúvida uma ótima experiência cinematográfica.

Entendo a divisão do livro em dois filmes, pois separam o lado humano e o lado vampírico da personagem principal Bella. Esta película ajudou-nos a perceber mais histórias de vampiros e vimos novos dons que alguns têm, o que me agradou.

Kristen Stewart deixou de lado a sua postura apagada, tornando-se numa das surpresas do filme. O seu desempenho está mesmo muito bom e isso deve-se à personagem sentir-se mais viva como vampira do que quando era humana. "O meu tempo enquanto humana acabara. Mas nunca me sentira tão viva", frase dita pela personagem em questão demonstra isto na perfeição.

Os Volturi estão de volta e devido ao seu poder consegui sentir arrepios e medo, pois são um bocado intimidadores. Já os Cullen fazem-me sentir seguro, devido à sua postura protetora e quase humana.

"The Twilight Saga - Breaking Dawn Part 2", título original, é realizado por Bill Condon que a meu ver fez um belo trabalho. O filme tem o argumento a cargo de Melissa Rosenberg e é baseado em "Amanhecer", livro escrito por Stephenie Meyer e do qual eu gosto muito.

Ainda que o filme tenha algumas diferenças do livro não lhe foge muito, sendo essas um bónus para a história. A grande surpresa deste filme foi a reviravolta que ele nos ofereceu, achei este twist brilhante mas ao mesmo tempo chocante pois simplesmente brutal e inesperado, amei.

É sem dúvida um final épico e sim, vai deixar saudades. É o final de uma grande história, saí do cinema num estado total de nostalgia e poucos filmes me deixaram assim. Tal como "Harry Potter e os Talismãs da Morte: Parte 2", este desfecho foi sublime.

As últimas cenas do filme e o início dos créditos finais são completamente emocionantes, deixando uma onda de nostalgia e futuras saudades. Destaco também os desempenhos de Robert Pattinson, Taylor Lautner e da novata Mackenzie Foy, que interpretou Renesmee. Peter Facinelli, Elizabeth Reaser, Ashley Greene Jackson Rathbone, Kellan Lutz, Nikki Reed e Billy Burke estão um pouco mais apagados, mas têm um bom desempenho, saliento ainda os desempenhos de Michael Sheen e Dakota Fanning. Tenho pena que Anna Kendrick não tenha aparecido nesta parte do filme, pois é uma grande atriz.

No elenco secundário temos variadíssimos nomes como os de Maggie Grace, Chaske Spencer, Jamie Campbell Bower, Christopher Heyerdahl, Lateef Crowder, Daniel Cudmore, Charlie Bewley, Cameron Bright, Andrea Powell, MyAnna Buring (uma excelente atriz), Casey LaBow, Mía Maestro, Christian Camargo, Omar Metwally, Andrea Gabriel, Angela Sarafyan, Rami Malek, Tracey Heggins, Judith Shekoni, Lee Pace, Lisa Howard, Patrick Brennan (que já entrou em "72 Horas"), Bill Tangradi, Marlane Barnes, Erik Odom, Joe Anderson de ("Across the Universe"), Valorie Curry, Guri Weinberg, Noel Fisher (que participou no filme "O Último Destino 2"), Booboo Stewart e Julia Jones, entre outros. Definitivamente "A Saga Twilight: Amanhecer Parte 2" tem um elenco recheado, o que por um lado mostra-nos mais pontos da história não só em termos de vampiros mas também de lobos, vejo isto como um complemento e uma mais-valia.

Completamente aconselhável, é um filme excelente e é uma saga que vai deixar saudades. Convido-vos a lerem as minhas análises aos outros filmes: "Crepúsculo", "A Saga Twilight: Lua Nova", "A Saga Twilight: Eclipse", "A Saga Twilight: Amanhecer Parte 1".

Se sou fã da saga? Claro. Se estou a pensar em ir ver o filme de novo? Sim. Se vou comprar o DVD quando sair? Óbvio. Excelente, não podem perder.



5*

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

O Corpo de Jennifer



"O Corpo de Jennifer" (título nacional) tem uma história razoável, com um argumento fraquito e os efeitos especiais não são lá muito bons. É um filme de terror série b, onde algumas cenas são exageradas e onde são poucos os sustos.

Gostei do final do filme, agradou-me ser narrado pela atriz Amanda Seyfried e achei-o um filme engraçadito. O que "Jennifer's Body" (título original) tem de melhor é a beleza e talento de Amanda Seyfried, que para mim tem aqui um dos seus menores desempenhos.

Este filme de 2009 é realizado por Karyn Kusama e tem o seu argumento a cargo de Diablo Cody. No elenco podemos contar com Megan Fox, Amanda Seyfried, Johnny Simmons, Adam Brody e Kyle Gallner, entre outros.



2*

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Tucker & Dale Contra o Mal



Tudo começa com um mal-entendido: Tucker (Alan Tudyk) e Dale (Tyler Labine), dois homens do campo inofensivos, que devido a variadas peripécias são confundidos com psicopatas. A partir daqui vários imprevistos se irão suceder com o grupo de universitários que os confundiu.

"Tucker & Dale Contra o Mal", título nacional, é um filme inovador. Junta perfeitamente terror e comédia, tal como "Bem-vindo a Zombieland" o faz. As mortes que vão acontecendo não são o que parecem ser e nós espetadores conseguimos perceber isso, ao mesmo tempo que nos rimos devido a algumas serem absurdas.

A meu ver uma das mensagens do filme é que as aparências iludem pois "Tucker and Dale vs Evil", título original, vive delas. A história dá-nos a entender que devemos lutar pelo que queremos, como exemplo, mostra que não podemos ser pessimistas. O filme demonstra ainda que temos de arriscar no amor.

O filme não é excelente pois tem falhas e deixa algumas pontas soltas, mas o importante é que entretém. Uma história fresca que nos faz rir do início ao fim, aconselho. O terror e horror presentes no filme são também uma das suas coisas positivas.

"Tucker & Dale Contra o Mal" é um filme de 2010, mas no nosso país apenas estreou a 12 de janeiro deste ano. É realizado por Eli Craig e tem o seu argumento a cargo deste e de Morgan Jurgenson. No elenco estão Tyler Labine, Alan Tudyk, Katrina Bowden, Philip Granger e Jesse Moss de "O Último Destino 3".

Não vou acrescentar muito mais, pois iria desvendar alguns spoilers. Este é um filme que me surpreendeu, não esperava que fosse tão bom como é.



4*

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Uma Outra Educação



"Uma Outra Educação" (título nacional) conta-nos a história de Jenny Mellor (Carey Mulligan), uma excelente aluna que está indecisa entre ir estudar para Oxford ou seguir uma alternativa proposta por um homem mais velho vivendo assim a vida.

Passado num período pós-guerra, o filme oferece-nos uma boa caraterização da época e dos locais onde é passado. A história leva-nos até Londres e Paris, bem caraterizadas e com belas paisagens. Saliento estes aspetos, pois são uma mais-valia ao filme.

Gostei muito da história e pode ser interpretada como uma lição de vida, mostrando bem a passagem da adolescência para a vida adulta. Carey Mulligan é a preciosidade do filme oferecendo-nos um excelente desempenho, que nos mostra bem um lado inocente e desprotegido e um lado maduro e um pouco rebelde. A personagem de Peter Sarsgaard também está bem desempenhada, fazendo um bom par com a protagonista.

O amor não escolhe idades e a química entre Jenny (Mulligan) e David Goldman (Sarsgaard) é bem visível. O filme fez com que torcesse por este casal e quando se deu a grande reviravolta da história fiquei chocado, para mim um dos melhores twists que já vi.

"An Education" (título original) não está perfeito e tem algumas falhas, penso que poderíamos ter descoberto mais de outras personagens como é o caso de Miss Stubs (Olivia Williams). Também gostei da química entre Danny (Dominic Cooper) e Helen (Rosamun Pike), pois o espetador consegue perceber que a relação destas duas pessoas é uma questão de interesse, não demonstrando muito amor e afetos.

Cara Seymor, Matthew Beard e Emma Thompson também têm algum relevo na história. Por fim, queria dizer que gostei muito do desenrolar da história. É um filme que recomendo e agradeço aos canais TVCine terem estado descodificados, dando-me uma hipótese de ver o filme.

"Uma Outra Educação" é baseado nas memórias da jornalista Lynn Barber, foi realizado por Lone Scherfig e tem o seu argumento a cargo de Nick Hornby. É ainda de frisar que foi nomeado a três Óscares: Melhor Filme, Melhor Atriz Principal e Melhor Argumento Adaptado.



4*

terça-feira, 20 de novembro de 2012

J. Edgar



A meu ver este é um filme muito interessante, que nos conta a história de J. Edgar Hoover o primeiro diretor do Federal Bureau of Investigation (FBI). Baseado em factos verídicos o filme leva-nos então a conhecer não só a história deste homem, mas também a história do FBI e das pessoas que rodeavam o seu primeiro diretor.

"J. Edgar" é um filme que no meu ponto de vista pode ser visto numa aula de História, pois seria um benefício para os alunos. Apesar de ser um pouco monótono esta película leva-nos a conhecer variadas coisas para além da história do FBI, pois fala-nos do mundo e dos Estados Unidos da América e mostra-nos como era aquela época.

Achei interessante a história ser contada por um J. Edgar envelhecido e nos ser mostrada através de longos flashbacks, que eram bem colocados nas sequências. Destaco o desempenho de Leonardo DiCaprio, que a meu ver está mesmo muito bom e mostra mais uma vez que este ator tem talento.

Destaco ainda a brilhante caracterização das personagens, principalmente do trio de protagonistas composto por Leonardo DiCaprio, Armie Hammer e Naomi Watts que está irreconhecível. "J. Edgar" oferece-nos excelentes desempenhos por parte dos atores principais mas podemos contar também com um elenco secundário com boas representações, que é o caso de Judi Dench, Christopher Shyer e Jeffrey Donovan.

Na minha opinião o uso de imagens reais, a preto e branco, é muito interessante. A ideia de conhecermos o passado do FBI para mim é excelente, pois é um interesse meu e gostei de conhecer parte da sua história. Para quem vê a série "Mentes Criminosas", que a meu ver é muito boa, percebe as diferenças do FBI entre a época do filme "J. Edgar" e a época atual.

"J. Edgar" é um filme de 2011 e é realizado por Clint Eastwood, que segundo o meu ponto de vista nos ofereceu um filme bem realizado. O filme tem Dustin Lance Black como argumentista e conta ainda com Ed Westwick, Josh Lucas, Denis O'Hare, Damon Herriman e Roberta Bassin, entre outros.



4*

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Atividade Paranormal 4



Este filme passa-se cinco anos depois do desaparecimento de Katie (Katie Featherston) e Hunter, onde descobriremos o que lhes aconteceu. Em "Atividade Paranormal 4", título nacional, dá-nos a conhecer uma nova família, aparentemente sem ligação aos outros filmes da saga. Esta história leva-nos a testemunhar estranhos acontecimentos na casa de Alex (Kathryn Newton).

"Atividade Paranormal 3" mostrou-se como uma prequela de "Actividade Paranormal" e "Actividade Paranormal 2", mas este novo filme é uma sequela, sendo passado em 2011.

"Paranormal Activity 4", título original, está excelente e deixa-nos de nervos em franja. Este filme tem alguns momentos mais chill out, mas continua a ter momentos tensos e arrepiantes que a saga já nos tem habituado. Com bons sustos e com muito suspense deixamo-nos levar pela história, o que nos faz saltar da cadeira em variados momentos.

Achei brilhante a ideia do uso das novas tecnologias como os computadores portáteis e a Xbox, que na minha opinião nos ofereceram novas maneiras de ver o filme. O uso da consola dá-nos também momentos de suspense, pois conseguimos ver mais coisas com a visão noturna ligada.

"Paranormal Activity 4" tem personagens assustadoras, que é o caso de Robbie (Brady Allen). Também Katie está mais assustadora do que já a conhecíamos dos outros filmes e com um aspeto mais velho. No elenco destaco também o desempenho de Kathryn Newton, que mostrou que pode vir a ser uma promissora atriz.

Nesta película há um twist que eu não esperava, o que me agradou. Descobrimos algumas coisas, mas falta ainda saber mais. É como montar um puzzle, sabemos tudo a seu tempo, pois alguns dos mistérios só devem ser descobertos em "Paranormal Activity 5", já confirmado.

Todo a história está repleta de suspense, mas os últimos momentos do filme são de tirar o fôlego. A meu ver a última sequência antes dos créditos dá-nos a perceber que haverá um quinto filme e a cena depois dos créditos leva-nos a perceber que haverá um spin-off latino, que também já foi confirmado.

Este filme foi realizado em 2012 por Henry Joost e Ariel Schulman, realizadores do terceiro filme da saga. "Atividade Paranormal 4" conta com Chad Feehan e Christopher Landon como argumentistas e Oren Peli como um dos produtores. No elenco contamos com Katie Featherston, Kathryn Newton, Matt Shively, Stephen Dunham, Brady Allen, Alexondra Lee e Aiden Lovekamp, entre outros. Por fim acabo a minha análise recomendando este filme, vejam pois é excelente.


5*

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Alice no País das Maravilhas



Não me lembro se quando era mais novo vi ou não "Alice no País das Maravilhas" (título nacional), mas revi este filme e gostei muito da história. Os clássicos da Disney para mim foram e sempre serão dos melhores filmes de animação que alguma vez veremos.

A história deste filme está muito boa e é interessante, este deve ser visto por todos e não só pelos mais novos. É um filme que nos transmite uma moral, que a meu ver é "sonhando consegues construir qualquer coisa".

"Alice in Wonderland" (título original) é um filme de 1951, com realização tripartida por Clyde Geronimi, Wilfred Jackson e Hamilton Luske. Baseado no livro homónimo de Lewis Carrol, esta história traz até nós um mundo mágico repleto de personagens especiais como o Coelho Branco, o Chapeleiro Louco, o Mestre Gato, a Lebre Maluca, a Lagarta, o Dodô e a Rainha de Copas, entre outros.

É um filme com uma mensagem para todos e essa mensagem é para não desistirmos dos nossos sonhos, para acreditarmos em nós. Já Lewis Carrol dizia: "Tudo tem uma moral, se a encontrarmos." Por falar muito dos sonhos é um pouco "A Origem" para os mais novos e muito mais fácil de entender.

Mas o filme fala também do poder da monarquia, aqui demonstrado através da personagem Rainha de Copas. Fala também do ensino, do crescimento e é uma fábula muito engraçada.

"Alice no País das Maravilhas" é um filme com boas músicas, com uma história muito boa e diverte quem o vir. Vi dobrado em português e algumas das vozes já são conhecidas dos vários filmes de animação. Recomendo este filme, pois está muito bom.



4*

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Despojos de Inverno



Este "Despojos de Inverno" (título nacional) foi para mim muito aborrecido, cheguei mesmo a pensar desistir de o ver. Mas lá vi o filme todo e considero-o razoável.

A história não está má, contudo não me cativou muito. O filme é demasiado monótono e por a história ser um pouco pesada a história torna-se maçador. O filme tem uma hora e quarenta e, na minha opinião, causou enfado, deixando-me entediado.

Apesar de "Winter's Bone" (título original) ser aborrecido tem algumas coisas favoráveis, como exemplo temos o bom desempenho de Jennifer Lawrence como Ree. A atriz mostra neste filme e em "The Hunger Games - Os Jogos da Fome" que é uma das mais requisitadas atrizes da atualidade.

Em "Despojos de Inverno" a personagem Teardrop, interpretada por John Hawkes, apesar de estar parecida com a sua personagem em "Martha Marcy May Marlene" não chega a esse nível, contudo o ator oferece-nos um desempenho bom.

Gostei também da banda sonora e por último o tom realista que a história nos oferece é uma das razões pelas quais não deixei de ver o filme a meio. Há partes que parecem mesmo reais, por exemplo, as cenas dos esquilos e do rio.

Fiquei um pouco desiludido por não sabermos o grande segredo do filme, pois esperava que revelassem quem era o verdadeiro culpado pela morte. Este filme de 2010 foi realizado por Debra Granik e conta com argumento da mesma e de Anne Rosellini e é baseado no livro de Daniel Woodrell.



2*

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

(REC) 3 Genesis



A história desenrola-se no casamento de Clara (Leticia Dolera) e Koldo (Diego Martín) que acompanhados da sua família e amigos festejam, mas algo terrível acontece e quem viu os outros filmes percebe que a carnificina está prestes a começar.

A história de "(REC) 3 Genesis", título nacional, por se passar num casamento está mais romântica, por vezes até de mais, mas a essência está lá. O amor que os noivos nutrem um pelo outro é-nos transmitido através da sua luta para se reencontrarem no meio dos convidados, que agora são criaturas monstruosas. O bom disto é que nos prende ao ecrã e torcemos para que Clara e Koldo se voltem a encontrar.

O contraste entre o início do filme em tom festivo e o resto do filme num estilo terror e suspense é notório. "[REC]³: Génesis", título original, está bom mas podia estar melhor. Este filme não está ao mesmo nível dos primeiros, sendo menos bom que esses.

O filme peca por não ter uma ligação forte aos seus antecessores, pois para quem não estiver com atenção não o consegue enquadrar na história de "[REC]" e "[REC] 2". A ligação mais visível aos filmes anteriores é uma mordidela de cão na mão de um personagem e umas frases no diálogo do padre (Xavier Ruano).

Este filme está diferente não só por ser passado noutro sítio mas também por ter abandonado quase totalmente o género found footage, o que nos reduz a capacidade de nos sentirmos no filme. Apesar de não nos sentirmos sempre dentro do filme há algumas, mas poucas, cenas que nos fazem sentir que estamos lá.

Contudo este filme de 2012 continua a ter uma coisa que os outros também tinham, que é sustos. "(REC) 3 Genesis" fez-me saltar várias vezes da cadeira, pois não previmos muitos destes sustos. Os zombies, ou melhor os infetados pelo vírus, estão bem caracterizados e são assustadores.

"(REC) 3 Genesis" é também muito religioso, pois rezando e atirando água benta às criaturas monstruosas pode ser possível conseguirmos sobreviver. Para quem não sabe Génesis é o primeiro livro da Bíblia e tratava a temática da criação do Mundo. No filme génesis, a meu ver, marca o início do caos e dá-nos informações sobre a origem do problema.

Algumas cenas são bem acompanhadas pela música e isso dá-nos a conhecer a banda sonora do filme, que na minha opinião, é boa. "(REC) 3 Genesis" traz-nos algumas cenas de terror que nos fazem rir talvez por serem um bocado parvas ou exageradas e oferece-nos um segmento que mistura perfeitamente terror e ação, que é a cena da motosserra.

O desenrolar do filme sobe de tom, sendo mesmo de cortar a respiração. As últimas cenas fazem-nos suspirar de alívio, mas zás algo acontece. Algumas cenas de terror deste filme são nojentas sendo mais hardcore que os filmes anteriores, outras são completamente exageradas.

"[REC]" e "[REC] 2" foram realizados por Jaume Balagueró e Paco Plaza, mas "(REC) 3 Genesis" é apenas dirigido pelo último. No elenco o destaque principal é para Leticia Dolera e Diego Martín que nos faz sentir química, já no elenco secundário há destaque para Àlex Monner, Ismael Martínez, Xavier Ruano, Emilio Mencheta e Claire Baschet.

Saí do cinema não com uma sensação de desilusão, mas com um pensamento de que podia estar melhor e podiam ter feito mais. Este filme deixa arestas por limar, faltam peças a este puzzle repleto de carnificina e deixa-nos a pensar o que se poderá passar no próximo filme. Ainda bem que tão depressa não vou a casamentos, é o pensamento que fiquei ao ver o filme.



3*

domingo, 7 de outubro de 2012

Noivas em Guerra



Liv (Kate Hudson) e Emma (Anne Hathaway) são as melhores amigas desde sempre e têm como sonho casarem em junho no Plaza de Nova Iorque, mas tudo muda quando os casamentos são marcados erradamente para o mesmo dia.

"Noivas em Guerra" (título nacional) é um filme divertido para se ver num domingo à tarde, tem momentos cómicos, faz-nos rir, tem uma história engraçada e transmite-nos uma mensagem.

O filme mostra que o amor nem sempre é forte, podendo terminar e uma amizade mesmo com alguns erros cometidos e alguma discussão quase sempre sobrevivendo.

Passei uma bela tarde a ver "Bride Wars" (título original) que nos traz Kate Hudson e Anne Hathaway sexys como sempre e boas atrizes, são elas que nos oferecem os momentos mais hilariantes do filme. Há alguma química entre as atrizes, mas poderia haver ainda mais.

Este filme de 2009 peca por ter alguns clichés e por possuir algumas cenas redundantes. Apesar de ser um pouco previsível pode-nos surpreender, como aconteceu comigo.

A história deste filme realizado por Gary Winick e com argumento de Greg DePaul, Casey Wilson e June Diane Raphael pode ou não fazer-nos pensar na amizade.

Para além do elenco principal, o secundário também nos oferece cenas cómicas e gostei também de Candice Bergen ser a narradora da história.



3*

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Viagem ao Centro da Terra 2: A Ilha Misteriosa



Depois de uns dias de pausa estou de volta com a minha análise ao filme "Viagem ao Centro da Terra 2: A Ilha Misteriosa", título nacional. Tudo começa quando Sean Anderson (Josh Hutcherson) recebe um sinal de socorro codificado vindo de uma misteriosa ilha e decide procurar este local. Mas não vai só, o seu padrasto Hank (Dwayne Johnson) tem de o acompanhar.

Para chegarem ao destino têm de viajar com Gabato (Luis Guzmán), o piloto de helicópteros de Palau que os levará à ilha, e com a sua filha Kailani (Vanessa Hudgens). Várias peripécias acontecem e já na ilha encontram Alexander (Michael Caine), o avô de Sean.

Este é um filme divertido, com uma história engraçada e é sem dúvida um filme para toda a família. Ao bom elenco que o filme nos oferece juntam-se efeitos especiais bem conseguidos, algumas paisagens maravilhosas e algumas cenas cómicas. Apesar de não ter visto o filme em 3D vi-o bem na versão normal, resumindo é um bom filme que serve para nos entreter.

"Journey 2 - The Mysterious Island", título original, é um filme realizado por Brad Peyton e com argumento de Brian e Mark Gunn. No elenco contamos com Josh Hutcherson, Dwayne Johnson, Vanessa Hudgens, Luis Guzmán, Michael Caine e Kristin Davis. Este filme de 2012 foi baseado no livro "A Ilha Misteriosa" escrito por Júlio Verne, pode também ver a crítica a "Viagem ao Centro da Terra" neste blog.



3*

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Martha Marcy May Marlene



"Martha Marcy May Marlene" é um filme de 2011 com realização e argumento de Sean Durkin, que conta no elenco com Elizabeth Olsen, John Hawkes, Sarah Paulson, Hugh Dancy, Christopher Abbott, Brady Corbet, Maria Dizzia, Louisa Krause e Julia Garner, entre outros.

É um filme que nos faz pensar e que apesar de ter uma história um bocado confusa é muito boa. "Martha Marcy May Marlene" conta com um elenco brilhante, principalmente Elizabeth Olsen que provavelmente é melhor atriz que as irmãs, Mary-Kate e Ashley Olsen.

Tudo começa quando Martha (Olsen) foge da seita onde vivia e se reencontra com a sua irmã Lucy (Paulson), a qual já não via há algum tempo.

A história de Martha na comunidade onde vivia é-nos contada através de flashbacks, que apesar de parecerem confusos não o são. Acompanhamos Martha no presente e passado recente, onde era tratada por Marcy May, descobrindo o porquê da fuga.

Através da personagem principal percebemos que na vida adaptarmo-nos pode ser dificil, mesmo com uma mudança de rotina as coisas podem ficar diferentes. Foi que aconteceu com Martha, que mudou completamente de vida de um lugar fechado e intimista para um mundo com mais liberdade.

John Hawkes está intimidador como líder da seita, a sua presença mete respeito e nota-se que a sua personagem Patrick é autoritária. Sarah Paulson mostra-nos um ladro maternal, terno e meigo. Mesmo nas personagens se nota a diferença entre os dois mundos, contudo o passado pode-nos perseguir.

Mas a chave de ouro de "Martha Marcy May Marlene" é Elizabeth Olsen que está perfeita, sendo credível mesmo nos momentos de paranóia. Martha transmite-nos drama, dor e um pouco de felicidade.

O final do filme é abrupto, mas mostra-nos que poderá haver esperança para Martha sendo a passagem para uma nova etapa da vida. A não perder, vejam.



4*

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

O Motel



Tudo começa quando o carro de um casal de futuros divorciados se avaria no meio do nada e estes têm de pernoitar num velho motel... Já no quarto descobrem um leque de vídeos onde estão gravadas mortes, aparentemente feitas no mesmo quarto. Agora têm de fazer tudo para sobreviver...

"O Motel", título nacional, é um filme que está repleto de suspense e muitos sustos. Resumidamente é um filme que nos deixa de nervos em franja, coloca-nos no lugar das personagens. Apesar de ter alguns twists é porém um pouco previsível, já Kate Beckinsale e Luke Wilson estão bem nos principais papéis. O pior do filme é o final, pois era um pouco fosco (um pouco sem brilho) esperava um pouco mais.

"Vacancy", título original, é um filme de 2007, realizado por Nimród Antal, produzido por Hal Lieberman e com argumento a cargo de Mark L Smith. No elenco principal contamos com Kate Beckinsale, Luke Wilson e Frank Whaley.

Será que o casal sobreviverá? Será que Amy (Beckinsale) e David (Wilson) irão fazer as pazes? Veja "O Motel" e descubra...



4*

sábado, 8 de setembro de 2012

O Discurso do Rei



Depois de uns dias de férias o blog "Os Filmes de Frederico Daniel" está de volta com a análise do filme "O Discurso do Rei" (título nacional) que nos mostra a história do Rei George VI (Colin Firth), do seu problema de gaguez e da sua subida ao trono de Inglaterra. É um filme bastante simples mas excelente, com um elenco magnífico e uma boa caracterização da época e das personagens. Eu comecei a ver o filme sem nenhuma expectativa, pois pensava que iria achá-lo aborrecido. Porém surpreendeu-me bastante pela positiva.

"The King's Speech" (título original) é um filme de 2010 realizado por Tom Hooper e com argumento de David Seidler, ambos receberam em 2011 o Óscar de Melhor Realizador e o Óscar de Melhor Argumento Original respetivamente. No elenco contamos com Colin Firth, Helena Bonham Carter, Derek Jacobi, Geoffrey Rush, Calum Gittins, Jennifer Ehle, Dominic Applewhite, Ben Wimsettt, Freya Wilson, Ramona Marquez, Michael Gambon, Guy Pearce, Claire Bloom, Eve Best e Timothy Spall, entre outros.

Baseado em factos verídicos, o filme aproxima-nos mais da história, podendo (ou não) criar em nós um querer saber mais sobre a história. Como já disse "O Discurso do Rei" caracterizou bem os anos retratados e achei genial terem incluido pelo menos um vídeo real no meio do filme e a caracterização dos atores está também excelente, Helena Bonham Carter está perfeita, Colin Firth também e notam-se algumas semelhanças entre Guy Pierce e Edward VIII, a sua personagem.

Colin Firth mereceu sem dúvida alguma o Óscar de Melhor Ator, pois 'carrega o filme às costas' e mostra-nos uma personagem que não desiste, façamos vénia a este desempenho. Já Geoffrey Rush, embora noemado, não venceu o Óscar de Melhor Ator Secundário com a sua personagem Lionel Logue, a ultrapassar o seu problema de gaguez e proferir o seu importante e determinante discurso. Por tudo isto recomendo "O Discurso do Rei" vencedor também do Óscar de Melhor Filme em 2011. Definitivamente a não perder, vejam.



5*

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Uns Espartanos do Pior



A maior parte das pessoas repudia este género de filmes de comédia inserido no subgénero da paródia, mas "Uns Espartanos do Pior" (título português) dá para passar um bom serão de comédia, tem cenas hilariantes e tem Carmen Electra no elenco. Contudo tem falhas e por vezes torna-se estúpido.

"Uns Espartanos do Pior" através de Leonidas (Sean Maguire) conta-nos uma história em jeito de paródia do filme "300", mas também faz piadas a celebridades como Britney Spears, Angelina Jolie e Brad Pitt, passando pelos jurados de "American Idol" e "America's Next Top Model". A cena mais hilariante é a do poço da morte, só rir.

O argumento e a realizadção de "Meet the Spartans" (título original) estão a cargo de Jason Friederg e Aaron Seltzer, e no elenco podemos ver Sean Maguire, Carmen Electra, Jim Piddock, Nicole Parker, Hunter Clary, Kevin Davitian, Diedrich Bader, Method Man, Jareb Dauplaise, Kevin Sorbo e Travis Van Winkle, entre outros.

"Uns Espartanos do Pior", filme de 2008, tem piada. Algumas piadas são estúpidas e/ou secas, mas há sempre algumas assim neste tipo de filmes. Resumindo é um filme divertido. Para quem vir este filme não se esqueça de ver os créditos finais, pois tem algumas cenas extras hilariantes.



3*

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

O Cavaleiro das Trevas



Muitos dizem que as sequelas não conseguem superar os originais, mas para mim "O Cavaleiro das Trevas" (título nacional) superou o primeiro filme "Batman - O Início". Este filme está repleto de ação, tem um herói justiceiro e oferece-nos um excelente vilão.

Neste filme Batman (Christian Bale) tenciona acabar com todas as organizações criminosas que ainda controlam Gotham e que causam o caos na cidade. Tudo parece correr bem até que aparece Joker (Heath Ledger), o criminoso que faz frente ao cavaleiro das trevas.

"The Dark Night" (título original) é um filme de 2008, realizado por Christopher Nolan e tem o seu argumento a cargo de Jonathan Nolan, Christopher Nolan e David S Goyer. No elenco podemos contar com Christian Bale, Heath Ledger, Aaron Eckhart, Michael Caine, Maggie Gyllenhaal, Gary Oldman, Morgan Freeman, Monique Gabriela Curnen, Cillian Murphy, Chin Han, Melinda McGraw, entre outros.

O ponto forte de "O Cavaleiro das Trevas" é sem dúvida Heath Ledger que interpreta magistralmente o vilão Joker, uma personagem intrigante e arrepiante. Joker é assustador, medonho e é um inimigo à altura de Batman, capaz de lhe fazer frente. Ledger mereceu o Óscar de Melhor Ator Secundário pois está brilhante neste papel, a voz  de Joker é tremenda, os trejeitos que o ator faz são marcas do personagem e para mim é um dos melhores vilões da história do cinema. E Joker conseguiu provar uma coisa, que até os bons podem sucumbir para o lado menos bom.

Maggie Gyllenhaal substituiu Katie Holmes no papel de Rachel, a troca das atrizes é notada e sempre que num filme se muda o elenco há pormenores que conseguimos ver. Mas o positivo é que Holmes e Gyllenhaal são parecidas fisicamente, Maggie Gyllenhaal mostra-nos uma Rachel mais madura e mais vivida. "O Cavaleiro das Trevas" é um filme imperdível, vejam.



5*

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Batman - O Início



Finalmente vi este filme e gostei muito, achei brilhante a capacidade de Christopher Nolan conseguir ir ao fundo do passado e mostrar-nos como nasceu Batman. Descobrimos o que levou Bruce Wayne (Christian Bale) a tornar-se no protetor da sua cidade Gotham e de várias pessoas, depois do assassinato dos seus pais Bruce quer lutar contra a injustiça e meter medo a quem faz o mal.

Christopher Nolan é um dos meus realizadores de "A Origem", filme que verei brevemente para crítica, e "Batman - O Início" (título português) tem a essência deste realizador que são os grandes efeitos especiais. Apesar de este filme não estar excelente está muito bom e Christian Bale consegue carregar o filme às costas, mas também precisa de ajuda dos restantes personagens que nos ajudam a perceber melhor a história da lenda que é Batman.

"Batman Begins" é um filme de 2005, com realização de Christopher Nolan e argumento bipartido entre o realizador e David S Goyer. No elenco contamos com Christian Bale, Michael Caine, Liam Neeson, Katie Holmes, Gary Oldman, Rutger Hauer, Tom Wilkinson, Ken Watanabe, Morgan Freeman, Linus Roache, Sara Stewart, Gus Lewis, Emma Lockhart, entre outros.

Em "Batman - O Início" temos muita ação, bons twists, um vilão no mínimo bizarro, efeitos especiais excelentes e algum drama juntamente com alguma comédia. Aconselho este filme e para quem ainda não o viu ainda vai a tempo, pois muitos já o consideram um clássico.



4*

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Nas Nuvens



"Nas Nuvens" (título nacional) tem uma história bem conseguida e através da história pessoal e profissional de Ryan Bingham (George Clooney) percebemos o filme e as variadas histórias, mesmo que pequenas, que estão nele.

O trabalho de Ryan é despedir pessoas no lugar dos chefes dessas e para isso tem de viajar, o que não se importa pois as nuvens, os aviões, os aeroportos e os hotéis são o seu lar. Ryan é livre e o seu estilo de vida também o é, mas é um indivíduo solitário e "Nas Nuvens" fala-nos também sobre solidão.

Durante as suas muitas viagens este apaixona-se por Alex Goran (Vera Farmiga), que é uma pessoa como ele mas no feminino. Contudo as viagens de Ryan poderão estar a acabar, pois a sua colega Natalie Keener (Anna Kendrick) arranjou uma maneira mais barata de fazerem o seu trabalho, que é em frente a um computador e despedirem pessoas sem terem de se deslocar aos locais.

Pelo meio temos oportunidade de assistir ao casamento de Julie (Melanie Lynskey), conhecemos o melhor e o pior das personagens principais e há uma reviravolta na história.

"Up In the Air" (título original) é um filme de 2009, dirigido por Jason Reitman, com argumento partilhado entre o realizador e Shelton Turner e adaptado do livro homónimo de Walter Kirn. Nos principais papéis temos George Clooney, Anna Kendrick e Vera Farmiga e contamos no elenco com Melanie Lynskey, Amy Morton, Jason Bateman, Danny McBride, Zach Galifianakis, entre outros.

"Nas Nuvens" fala-nos de crise, de desemprego, mas também nos fala de novas oportunidades, da importância da família e da necessidade de ter um lar, um verdadeiro sítio para ficar. Um filme que está muito bom, pois consegue misturar perfeitamente comédia e drama com os altos e baixos da vida.



4*

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Comando



Esta curta-metragem portuguesa é razoável, é um filme que se vê mas nada mais. Tem muita ação, tem poucas falas e é interessante, mas deixa a desejar. Este filme passa-se numa guerra onde um soldado tem de entregar um envelope ao oficial que está no comando, mas essa tarefa torna-se difícil dado o caos que se gerou.

"Comando" é uma curta-metragem de 2010 realizada por Sonat Duyar e Patrício Faísca, que tem Sonat Duyar também como argumentista e com o ator Nuno Custódio no principal papel. Aconselho este filme, penso que quem goste de filmes de guerra irá gostar deste.



2*

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Sem Sinal



Para mim a curta-metragem "Sem Sinal" foi uma das piores que vi, se não a pior. Não gostei da história e até a achei um bocado parva.

Um filme que tem algumas piadas que não têm piada, uma história que deixa muito a desejar e que sinceramente é má.

"Sem Sinal" (filme de 2012) tem argumento e realização a cargo de António Mendonça e com João Pires, Francisco Rodrigues, Emanuel Roque, António Mendonça, Miguel Marques, Hélder Gomes e Hugo Dias.

Algumas das piadas na curta-metragem eram escudas ou não faziam rir e pronto acho que disse tudo, não gostei deste filme.


1*

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Sobre Vivência



"Sobre Vivência" é um filme que nos alerta para os estereótipos que existem na vida, deixa uma mensagem contra o racismo e deixa um aviso que é as aparências iludem.

Esta curta-metragem tem uma história excelente que nos é mostrada de uma forma quase poética e por nos falar também sobre teatro é muito teatral, como uma das personagens diz "o teatro é sobre vivência", tal como a vida que é preciso ter vivência e saber lidar com ela.

Esta curta foi filmada na Arrentela, Seixal que é o meu concelho. Um filme excelente, com uma história sobre a vida e não tenho muito mais a dizer além de aconselhar a sua visualização.

"Sobre Vivência" é um filme realizado em 2009 por João Azevedo e Luís Lobo, que dividem o argumento com Joana Cunha. No elenco principal temos Ricardo Borges, Glória de Matos e Francisco Pestana.


5*

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Flor Desfeita



Esta curta-metragem está muito boa, tem um bom argumento e a história é engraçada, mas deixa algumas pontas soltas e coisas por revelar.

"Flor Desfeita" foca-se no mundo da prostituição em casa de alternes e das vantagens e desvantagens dessa vida, tudo começa quando Joana (Rita Elias Garcia) descobre que a sua prima Rita (Ana Guiomar) trabalha nesse mundo. Pouco depois Joana entra também nesse mundo, que lhe é apresentado pela dona do bar (Teresa Chan).

O título tem tudo a ver com o final inesperado, pois este interliga-se às últimas cenas de uma maneira quase perfeita. Aconselho esta curta, são apenas seis minutos e alguns segundos que são bem passados. Conheça o doce amargo deste mundo, que tanto pode ter desvantagens ou vantagens.

"Flor Desfeita" é um filme de 2010, realizado e argumentado por Susana Barroso e que conta nos principais papéis com Ana Guiomar, Ritas Elias Garcia, Jorge Almeida e Teresa Chan.


4*

domingo, 19 de agosto de 2012

Quando o Anjo e o Diabo Colaboram



A história desta curta-metragem começa com uma aposta entre o Anjo (Sandra Celas) e o Diabo (Rui Santos), que serviria para se saber para onde iria o maior número de pessoas. Quem teria mais mortos à porta, o Céu ou o Inferno?

"Quando o Anjo e o Diabo Colaboram" tem uma história engraçada, mas tem algumas falhas. Os diálogos entre o Anjo e o Diabo são um bocado forçado, mas isso é o menos. A história é baseada no "Auto da Barca do Inferno" de Gil Vicente e para mim conseguiu captar um bocado da sua essência, aconselho esta curta-metragem.

"Quando o Anjo e o Diabo Colaboram" é um filme de 2009, realizado por Paula Soares, produzida por Inês Sirgado e com argumento de Sara Toscano Oliveira, Cátia Rodrigues e Paula Soares. No elenco contamos com Sandra Celas, Fernando Ferrão, André Gago, Luís Magalhães, Ana Padrão, Rui Santos, Eduardo Viana, Filipe Vargas e João Villas-Boas.


3*

sábado, 18 de agosto de 2012

O Labirinto do Fauno

 
 


Finalmente percebi este filme que não tem apenas uma história sobre guerra ou sobre um mundo mágico, fala-nos na esperança na liberdade e mostra-nos o que conseguimos criar com a nossa imaginação. "O Labirinto do Fauno" (título português) conta-nos a história de Ofelia (Ivana Baquero), uma rapariga de 10 anos que ainda acredita em fadas e que se muda com a sua mãe para a casa do padrasto, um oficial fascista chamado Vidal (Sergi López).

Carmen (Ariadna Gil) está grávida e doente e por isso não pode dar tanta atenção à sua filha Ofelia, que entretanto encontra um labirinto onde conhece Fauno, uma criatura mágica. Para se tornar princesa Ofelia terá de cumprir três tarefas antes da lua cheia, será que conseguirá?

"El Laberinto del Fauno" (título original) é um filme de 2006, com realização e argumento a cargo de Guillermo del Toro e que conta nos principais papéis com Ivana Baquero, Sergi López, Ariadna Gil, Maribel Verdú, Doug Jones, Álex Angulo e Roger Casamajor.

Esta história é passada em Navarra, Espanha no ano de 1944, alguns anos depois do fim da Guerra Civil de Espanha, onde um grupo de rebeldes continua a lutar contra a ditadura. "O Labirinto do Fauno" caracteriza bem uma época de guerra, de tortura e de luta pela liberdade. Algumas das cenas de tortura contra os rebeldes são intrigantes mas transmitem realismo, sendo algumas das cenas tão realistas que até arrepiam.

O filme mostra-nos o fim e o início de uma nova vida, como são os casos do fim da opressão e o início da liberdade e o caso da morte e do que pode haver depois desta. Apesar de para mim o filme não estar excelente está muito bom, aconselho.

No filme destaco a caracterização das criaturas, que estão excelentes e arrepiantes. "O Labirinto do Fauno" mostra-nos também que sem imaginação a vida torna-se monótona e tem uma mensagem muito importante, o filme avisa-nos que para travar qualquer guerra é preciso derramar sangue inocente.


4*

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

A Corrida



"A Corrida" tem uma história algo divertida, um bom elenco, drama, alguma comédia e um final engraçado. Mas não vai mais além, sendo apenas um filme razoável. A curta conta-nos a história de Anacleto (José Neto), um sem-abrigo que corre à beira Tejo, que entretanto é convidado para ser protagonista de um anúncio.

"A Corrida" é um filme de 2010 com realização e argumento a cargo de Catarina Carrola e Rui Madruga, no elenco contamos com Custódia Gallego, José Neto, Mouzinho Larguinho e João Tempera.


2*

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

O Tenente



Os pontos positivos da curta-metragem "O Tenente" são poucos, este filme tem um bom elenco, uma boa caracterização da época e um bom twist no final, mas nada mais. Os pontos negativos são que alguns dos diálogos não se percebem muito bem, haver algumas pontas soltas e ficarmos sem saber algumas coisas. Não é um filme mau de todo, acho até que é razoável.

"O Tenente" é um filme de 2010, com realização e argumento a cargo de Rafael Antunes, aluno da Universidade Lusófona, no elenco principal podemos contar com Adriano Carvalho, João Perry e Rui Mendes. Apesar de para mim ser razoável aconselho todos a ver.


2*

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Os Mercenários 2



Muita ação misturada com alguma diversão é o que "Os Mercenários 2" nos oferece, um excelente filme que apesar de começar morno fica cada vez mais bombástico. Neste filme Barney Ross (Sylvester Stallone) regressa com a sua equipa para um trabalho que aparentemente era fácil, mas tudo corre mal quando um deles morre, a partir daí o grupo vai atrás dos inimigos em busca de vingança.

Um filme com muitos tiros, alguma violência, muita porrada, alguns momentos hilariantes e um grande elenco. Um dos momentos altos do filme foi a divinal entrada de Chuck Norris, sem dúvida uma cena que marca o filme e pouco depois da sua chegada rimo-nos com um trocadilho direcionado à sua personagem.

"The Expendables 2" é um filme de 2012 realizado por Simon West e o seu argumento está a cargo de Richard Wenk, Sylvester Stallone, no filme contamos no elenco com Jason Statham, Sylvester Stallone, Jet Li, Dolph Lundgren, Chuck Norris, Jean-Claude Van Damme, Arnold Schwarzenegger, Bruce Willis, Terry Crews, Randy Couture, Nan Yu, Scott Adkins, Charisma Carpenter e Liam Hemsworth, entre outros.

Este filme tem tudo para passarmos um bom momento no cinema, muita mas muita ação, algum drama e muita comédia. "Os Mercenários 2" tem também um vilão mau como às cobras, uma mulher de armas e neste filme vimos finalmente Bruce Willis em ação. Pode também ver neste blog a crítica de "Os Mercenários".


5*

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Os Mercenários



Ação, muita ação é o que este filme nos oferece, "Os Mercenários" (título nacional) é um filme com um grande elenco, tem muita energia e tem excelentes efeitos tanto visuais como sonoros. Muitos tiros, muita porrada, mas acima de tudo muita adrenalina.

Tudo começa quando um grupo de mercenários, soldados que servem por dinheiro um governo estrangeiro, são contratados para tirar do poder um ditador num país da América do Sul. No reconhecimento do território Barney Ross (Sylvester Stallone) e Lee Christmas (Jason Statham) apercebem-se que o trabalho que lhes encomendaram não vai ser nada fácil, mas vão tentar ao máximo acabá-lo.

"The Expendables" é um fillme de 2010 realizado pelo próprio Sylvester Stallone, que também está a cargo do argumento em parceria com Dave Callaham. No elenco podemos contar com Jason Statham, Sylvester Stallone, Jet Li, Dolph Lundgren, Eric Roberts, Randy Couture, David Zayas, Giselle Itié, Charisma Carpenter, Terry Crews e Mickey Rourke, entre outros. Posso afirmar que é muito bom rever alguns destes atores de volta à ação, esta história deu-nos esta prenda.

Gostei da história, achei-a muito interessante e agora espero ver brevemente a sequela. As explosões, os tiros, as lutas, o palácio a ir pelos ares, foram algumas das coisas que me fizeram adorar o filme, não costumo gostar de filmes violentos, mas este surpreendeu-me.

Já o tinha visto no cinema no fim de semana de estreia em Portugal, mas agora revi e aproveitei para escrever esta análise, pois na altura este blog ainda não existia.

Dou destaque também para a bela atriz brasileira Giselle Itié, gostei do seu desempenho. Aconselho vivamente a verem e viverem o filme, pois dá-nos uma grande sensação de adrenalina.


5*

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Sou o Número Quatro



Eu já há muito tempo que estava para ver este filme e agora que já tenho o DVD vi "Sou o Número Quatro" (título nacional) e não me desiludi, pois achei o filme extraordinário. A história do filme agradou-me e os efeitos cativaram-me, excelente.

Em "Sou o Número Quatro" conhecemos a história de John Smith (Alex Pettyfer, que recentemente vimos em "Magic Mike") um jovem alienígena que se tenta adaptar à Terra, depois do seu planeta ter sido dizimado por criaturas inimigas. No início do filme John tem de fugir com o seu guardião Henri (Timothy Olyphant) pois já mataram três jovens como ele.

John é o Número Quatro portanto é o próximo e tem de ter cuidado para não ser conhecido mas em Paradise, a sua nova cidade, ele apaixona-se por Sarah (Dianna Agron, a loirinha de "Glee") e faz amizade com Sam (Callan McAuliffe). Será que John conseguirá sobreviver?

"I Am Number Four" (título original) é um filme de 2011, é realizado por DJ Caruso, tem argumento de Alfred Gough, Miles Millar e Marti Noxon e é baseado na obra escrita por Jobie Huges e James Frey sob o pseudónimo Pittacus Lore. No elenco estão presentes os nomes de Alex Pettyfer, Timothy Olyphant, Teresa Palmer, Dianna Agron, Callan McAuliffe, Kevin Durand e Jake Abel, entre outros.

Um dos destaques do filme vai para a atriz Teresa Palmer que me surpreendeu, pois a maior parte das cenas que entra são brutais. Não conhecia muito bem o trabalho desta atriz, mas agora fiquei mais atento. Uma das cenas em Número Seis (Teresa Palmer) aparece é literalmente estrondosa. Dou destaque também à caracterização dos Mogadorianos, pois está mesmo muito bem conseguida.

Em suma, "Sou o Número Quatro" é um filme para ver e rever. Espero que haja sequela, pois quero saber mais sobre a caixa que John tem. Um dos melhores que vi este mês em DVD, aconselho.


5*

domingo, 12 de agosto de 2012

Fotograma 23



Gostei muito da história da curta-metragem "Fotograma 23", pois vi-me no lugar dos fotógrafos. Neste filme dois fotógrafos observam os fotogramas que obtiveram e um destes capta-os de tal maneira que ambos contam a história da pessoa fotografada e achei esta ideia interessante, pois às vezes ponho-me a pensar o que é que as pessoas que vimos na rua vão fazer e qual é a história delas.

Esta curta-metragem de 2011 foi realizada por Victor Santos e conta no elenco com Sara Costa, Janela Magalhães, Alexandre Sá, Filipe Leite e Eva Rothes. Aconselho este filme, pois está muito bom, deixe-se envolver nesta história.



4*

sábado, 11 de agosto de 2012

Não Sei Como Ela Consegue



"Não Sei Como Ela Consegue" (título nacional) conta-nos a história de Kate Reddy (Sarah Jessica Parker) e de como esta consegue conciliar a sua vida profissional e pessoal. Para ela não é fácil ter dois filhos e estar sempre em viagens de trabalho, mas ela consegue fazê-lo. É um bom filme para nos fazer rir, mas tem algumas falhas.

"I Don't Know How She Does It" (título original) é um filme de 2011, realizado por Douglas McGrath, com argumento a cargo de Aline Brosh e baseado na obra homónima de Allison Pearson. No elenco, uma das coisas boas deste filme, contamos com Sarah Jessica Parker, Pierce Brosnan, Greg Kinnear, Christina Hendricks, Kelsey Grammer, Seth Meyers, Jane Curtin, Mark Blum, Busy Philipps, Sarah Shahi, Emma Rayne Lyle, Julius Goldberg, Theodore Goldberg, James Murtaugh e Jessica Szohr, entre outros.

No filme havia entrevistas sobre Kate às várias pessoas que a rodeavam, mas algumas dessas pequenas conversas eram parvas e desnecessárias. O que salva o filme é o elenco, a história é engraçada e a personagem Kate oferece-nos alguns momentos hilariantes. Divirta-se a ver "Não Sei Como Ela Consegue", pois dá para rir.



3*

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Sem Prada Nem Nada



Este filme surpreendeu-me bastante pela positiva, pensava que não ia gostar mas está muito bom. "Sem Prada Nem Nada" (título português) conta-nos a história de duas irmãs, Nora (Camilla Belle) e Mary (Alexa Vega), que depois da morte do pai delas a vida luxuosa que levavam acabou, devido às dívidas deste. As irmãs são brigadas a mudarem-se para a modesta casa de Aurélia (Adriana Barraza), tia de ambas, que vive num bairro latino de Los Angeles (LA).

Nora e Aurélia, descendentes de mexicanos, têm de se habituar à nova vida e necessitam de se esquecerem de algumas mordomias. Contudo descobrem o significado de família, entreajuda e amizade, encontram um novo modo de vida. Este filme passa algumas mensagens, sendo capaz de mostrar e bem os vários mundos que uma cidade com LA pode ter.

"From Prada To Nada" (título original) é um filme de 2011, realizado por Angel Garcia e tem como argumentistas Fina Torres, Luis Alfaro e Craig Fernandez. No elenco principal contamos com as belíssimas Camilla Belle e Alexa Vega, já entre os atores secundários temos Adriana Barraza, Nicholas D'Agosto, Norma Reyna, Luis Rosales, Catalina López, Alexis Ayala, Pablo Cruz, April Bowbly e Wilmer Valderrama.

Apesar de estar muito bom o filme tem falhas, deixa algumas coisas por explicar, tem algumas pontas soltas e peca por ser um bocado previsível. "Sem Prada Nem Nada" tem uma história fresca, é divertido e dá para nos entreter bastante. Gostei da música e do ambiente, achei a história interessante e aconselho a verem.


4*

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

127 Horas



Este filme é baseado na história verídica do montanhista Aron Ralston, que no filme é interpretado por James Franco, que luta por sobreviver depois de ficar preso num desfiladeiro no Utah, Estados Unidos da América. Durante o tempo que está a tentar arranjar uma solução para sair dali, Ralston recorda a família, os amigos,as duas caminhantes que conheceu antes do acidente.

"127 Horas" [título português] foi dos poucos filmes que me intrigou ultimamente, pois senti-me no lugar do montanhista. Se eu estivesse na situação dele provavelmente entraria em pânico ou morreria, o filme é muito claustrofóbico e há cenas que tem cenas que me deram a volta ao estômago, principalmente a parte em que ele teve de cortar o braço. Durante os cinco dias que ficou preso, Aron tinha muita pouca água para sobreviver e ia gravando com a sua câmara o relato destes dias em que estava no meio do nada.

Apesar disto tudo o filme tem alguns pontos negativos, penso que haja partes um bocado monótonas e aborrecidas, logo no início. Mas prima por nos colocar na pele do protagonista e tenho a dizer que a caracterização de James Franco está muito boa, um filme que me arrepiou e intrigou.

Além disto tudo a banda sonora é muito boa, aconselho. James Franco está excelente na cena em que a personagem entra em paranóia, onde parece estar a entrevistar-se a si próprio com alguma comédia. As alucinações que ele tem, o desespero e as dores são tudo coisas que mexem um bocado conosco, pelo menos mexeram um bocado comigo.

"127 Hours" [título original] é um filme de 2010, mas que em Portugal apenas estrou a 24 de fevereiro de 2011. O filme é realizado por Danny Boyle, que divide o cargo de argumentista com Simon Beaufoy e é baseado no livro "Between a Rock and a Hard Place", escrito pelo próprio Aron Ralston. O elenco principal é apenas e só James Franco, que carrega o filme às costas. No elenco secundário temos Kate Mara, Amber Tamblyn, Sean Bott, Treat Williams, Koleman Stinger, John Lawrence, Parker Hadley, Kate Burton e Lizzy Caplan, entre outros.

Por estar no lugar do protagonista também eu me senti aliviado quando este conseguiu sair do desfiladeiro, conseguindo respirar mais facilmente e sem estar enclausurado. Aconselho vivamente a verem o filme, mas não aconselho que pessoas claustrofóbicas vejam "127 Horas".



4*

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Um Lugar para Viver



Quando o comprei não sabia o que pensar do filme, pois apenas o comprei por ter a excelente atriz Maya Rudolph no elenco. Vi o filme e adorei, surpreendeu-me completamente e achei-o excelente. Um filme sobre a busca do lugar certo para viver, uma história sobre a vida e uma história sobre o futuro que aí vem. Excelente, comovente e divertido.

"Um Lugar para Viver", título nacional, conta-nos a história de Burt (John Krasinski) e Verona (Maya Rudolph), que decidem ir em busca de um lugar para viver, onde irão criar a sua família, raízes e história. Verona parte em viagem grávida e com Burt no decorrer desta jornada encontrarão velhos amigos ou familiares que não viam há muito, muitas peripécias iram viver, muita gente estranha irá passar por eles e sempre juntos tentarão procurar o local perfeito.

"Away We Go", título original, é um filme de 2009 realizado por Sam Mendes e tem argumento de Dave Eggers e Vandela Vida. No elenco principal temos Maya Rudolph e John Krasinski, que têm uma química excelente e estão perfeitos nos seus papéis. No elenco secundário contamos com vários nomes, Carmen Ejogo, Catherine O'Hara, Jeff Daniels, Allison Janney, Jim Gaffigan, Maggie Gyllenhaal, Chris Messina, Melanie Lynksey, entre outros atores.

Um filme excelente, uma história deliciosa, um elenco excelente, cenas dramáticas, cenas cómicas, diversão e uma excelente banda sonora ao estilo Country. Aconselho vivamente a verem, "Um Lugar para Viver" é um dos mais belos filmes que vi ultimamente. O final do filme surpreendeu-me e comoveu-me, adorei.


5*

terça-feira, 7 de agosto de 2012

3x3



É um filme sobre insistir nos nossos objetivos e essa mensagem é-nos bem transmitida através de uma simples bola de basquetebol, um filme que me surpreendeu muito pela positiva e achei a história excelente. "3x3" é uma comédia muda, que nos guia excelentemente na história apenas através do lado icónico e do lado sonoro.

"3x3" foi realizado em 2009 por Nuno Rocha, que também está a cargo do fantástico argumento do filme. O elenco apenas tem dois atores, Ricardo Azevedo e João Marçal, mas apenas eles bastam para esta excelente história. Tem um final divertido e tem uma mensagem, a mensagem de não desistirmos dos nossos objetivos, nem que para isso tenhamos que trabalhar neles. Aconselho vivamente a ver, foram cinco minutos bem passados.



5*

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Lorax



Gostei do filme, surpreendeu-me pela positiva pois pensava que era apenas mais um filme de desenhos animados. Mas gostei da história e tem uma mensagem importante, uma mensagem em nome da natureza, contra a poluição e contra o abatimento de árvores.

"Lorax", título nacional, é adaptado do conto clássico de Dr Seuss e leva-nos numa história sobre a busca da Natureza. Ted (David Carreira) tem 12 anos e para ter o afeto da rapariga de que gosta vai em busca de uma árvore verdadeira para a agradar. Numa cidade sem árvores, uma cidade de "plástico" é preciso voltar a acreditar que é possível voltar a ter árvores e assim ar puro. No filme conhecemos a história do passado através de Once-Ler (Ricardo Afonso) e Lorax (José Jorge Duarte).

"The Lorax", título original, é um filme de 2012 realizado por Chris Renaud e Kyle Balda e com argumento a cargo de Ken Daurio e Cinco Paul. Na versão original contamos com as vozes de Danny DeVito como Lorax, Ed Helms na voz de Once-Ler, Zac Efron como Ted, Taylor Swift como Audrey e Rob Riggle como Mr O'Hare. Na versão portuguesa temos David Carreira como Ted, Mia Rose deu a voz a Audrey, José Jorge Duarte como Lorax e Pedro Bargado como Once-Ler. Nas vozes portuguesas contamos ainda com Custódia Galego, José Fidalgo, Ricardo Afonso e Simone de Oliveira.

É um bom filme, com boas músicas, divertido, cool e engraçado. Tem algumas cenas irritantes, tem algumas falhas, mas tem uma mensagem para todos e não só para as crianças. Vejam "Lorax", sejam amigos da Natureza e divirtam-se.


3*

domingo, 5 de agosto de 2012

Chicago



Finalmente consegui ver "Chicago" até ao fim, pois das primeiras vezes que o vi desistia de o ver e agora percebo o porquê. Quando era mais novo tentei ver este filme umas duas vezes, mas desistia do filme a meio e percebo que na altura não percebia a sua história. Hoje percebo o que se passa no filme e acho-o excelente, antes não percebia como se passava de uma prisão para um cabaret em segundos, mas agora vejo que a história deste filme deriva entre a realidade e a fantasia, sendo colocado habilmente entre ambas.

A história de "Chicago" passa-se em 1929, em Chicago, Roxie Hart (Renée Zellweger) é uma aspirante a cantora e tem como desejo seguir o mesmo caminho da artista Velma Kelly (Catherine Zeta-Jones) e consegue concretizar esse desejo quando ambas vão parar à prisão, acusadas de crimes diferentes. Roxie tenta escapar da prisão e da forca com a ajuda da encarregada da prisão Morton (Queen Latifah) e do advogado Billy Flynn (Richard Gere). Este filme cheio de sensualidade, paixão, dança, música, fama e crime é baseado no musical com o mesmo nome, escrito por John Kander, Fred Ebb e Bob Fosse.

"Chicago" é um filme de 2002, realizado por Rob Marshall e conta com o seu argumento a cargo de Bill Condon. No elenco contamos com os nomes de Catherine Zeta-Jones, Renée Zellweger, Queen Latifah, Richard Gere, Dominic West, John C Reilly, Christine Baranski, Colm Feore e Lucy Liu.

Achei fantásticas as passagens do mundo imaginário para o mundo real e respetivas misturas, achei as músicas fenomenais e o elenco é excelente. "Chicago" mereceu ter recebido o Óscar de Melhor Filme, Renéel Zellweger mereceu a nomeação ao Óscar de Melhor Atriz Principal, Catherine Zeta-Jones mereceu ter ganho o Óscar de Melhor Atriz Secundária e Queen Latifah mereceu ter sido nomeada ao mesmo Óscar, resumindo este filme mereceu os seis Óscares que venceu. Recomendo vivamente este filme pois está excelente, vejam este grande filme.



5*

sábado, 4 de agosto de 2012

Sem Limites



Edward Morra (Bradley Cooper) é um escritor que tem tido dificuldades em começar o seu trabalho, mas tudo muda quando este encontra o seu ex-cunhado Vernon (Johnny Whitworth). Vernon dá a Edward um comprimido supostamente legal chamado NZT para este experimentar. Esta droga leva Edward a utilizar 100% do seu cérebro, tornando-o mais intelectual, mais rápido e mais produtivo.

"Sem Limites" (título nacional) leva-nos numa viagem alucinante, mas deixa coisas por explicar. Edward acaba o seu livro em quatro dias, torna-se milionário em poucos dias, aprende línguas em pouco tempo, melhora a relação com a sua namorada Lindy (Abbie Cornish) e compra uma nova casa.

Tudo parece correr bem até que Edward se encontra com Melissa (Anna Friel), a sua ex-mulher, e esta lhe diz que o NZT é uma droga perigosa. A partir daqui tudo começa a descambar, homicídios misteriosos acontecem, Edward arranja inimigos e fica cada vez mais viciado. No meio disto tudo Edward conhece Carl Van Loon (Robert De Niro), tornando-se sócio deste.

"Limitless" (título original) é um filme de 2011, realizado por Neil Burger, com argumento de Leslie Dixon e baseado no livro "The Dark Fields" de Alan Glynn. No elenco principal contamos com Bradley Cooper, Robert De Niro, Abbie Cornish, Andrew Howard, Anna Friel e Johnny Whitwort.

O lado positivo do filme é que passeamos pela mente do protagonista, viajamos pela sua cidade com uma rapidez fascinante e mostra bem o que um viciado consegue fazer para obter a droga. Os pontos negativos são haver coisas por explicar, deixar pontas soltas por explicar e termos ficado sem saber alguns "mistérios" do filme.

"Sem Limites" é um bom filme que nos diverte, é visualmente bem construído e tem um bom elenco. Viaje por esta história, vejam este filme.



3*

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Romeu e Julieta - O Musical



"Romeu e Julieta - O Musical" transformou a história e tornou-a mais musical e cheia de dança, gostei muito do que vi e achei a ideia interessante. Apesar de me ter cativado falta-lhe algo, mas agradou-me muito e gostei.

Com músicas engraçadas, com um elenco conhecido para o público português, com cenários interessantes e com muita música este filme leva-nos a esquecer um bocado a tristeza da história e alegra essa história. Gostei do final, gostei muito da música e gostei da dança.

"Romeu e Julieta - O Musical" é uma curta-metragem de 2010 e tem argumento e realização a cargo Zara Pinto que foi aluna da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. No elenco principal temos Vítor Fonseca como Romeu, Vera Kolodzig como Julieta e David Mesquita como Páris, temos ainda Ana Vigário, Alexandre Ferreira, Mara Santos, Raquel Bravo e Rita Sousa.

Gostei muito e aconselho a ver, vejam "Romeu e Julieta - O Musical" e divirtam-se.



4*

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O Demónio



É um filme razoável, tem alguns sustos e não vai muito além. É um filme que deixa a desejar, mas tem uma coisa boa, ele mantém-nos agarrados até ao fim para descobrir o mistério. No entanto, tem mortes sem nexo, desaparecimentos sem nexo e algumas cenas sem nexo.

Em "O Demónio" (título nacional) algumas coisas acontecem sem depois ser explicadas, são apenas coisas do Diabo mas poderíamos saber como aconteceram. Tudo começa quando cinco estranhos entram num elevador e este avaria, tendo estes estranhos de conviverem uns com os outros. É um filme um bocado aborrecido, mas com uma história interessante e alguns sustos.

"Devil" (título original) é um filme de 2010 realizado por John Erick Dowdle e com argumento de Brian Nelson e M Night Shyamalan. No elenco principal temos Chris Messina, Jenny O'Hara, Bojana Novakovic, Geoffrey Arend, Jacob Vargas e Bokeem Woodbine.

O filme tem alguns pontos positivos, "O Demónio" é algo de claustrofóbico, mete algum medo, arrepia, mostra um bocado que o destino guia as nossas vidas e tem algumas cenas que nos arrepiam. Mas não vai muito além sendo razoável, aconselho.



2*

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

A Cova



Este mês começo novamente não com uma longa-metragem mas com uma curta-metragem, o objetivo é mostrar que nem só de longas se faz o cinema português. "A Cova" tem uma história que não é muito má, mas para mim é um mau filme.

Tem um elenco conhecido do mundo do cinema português e tem uma bonita paisagem, mas achei a história confusa e com um desenrolar também confuso. Mete medo (mas pouco) e tem suspense, mas não tem muito mais do que isso.

"A Cova" foi realizada em 2010 por Luís Alves e tem argumento de Rodrigo Almeida e Sousa e Luís Alves. No elenco contamos com Afonso Pimentel, Ivo Canelas e Augusto Portela.

Apesar de não ter gostado de "A Cova" aconselho, vejam.



1*

segunda-feira, 30 de julho de 2012

O Rei Leão



É de frisar que vi este filme como o vi pela primeira vez, em VHS. Vi "O Rei Leão" (título nacional) e o barulho do VHS já velho irritou-me, mas isso é o menos para um grande filme. Este filme é um dos grandes clássicos da Disney, tem uma história fantástica e é sem dúvida um filme excelente.

"The Lion King" (título original) foi realizado em 1994 por Roger Allers e Rob Minkoff e tem argumento de Irene Mecchi, Jonathan Roberts e Linda Woolverton. Na versão original a voz de Simba em adulto é do ator Matthew Broderick e em criança é de Jonathan Taylor Thomas, a voz de Mufasa é de James Earle Jones, a voz de Scar de Jermy Irons, a voz de Pumba de Ernie Sabella e a voz de Timon de Nathan Lane.

Já a versão dobrada em português, que foi a que vi, conta a voz de Carlos Freixo como Simba em adulto e com Tiago Caetano na voz de Simba em criança. Rogério Samora dá voz a Scar, António Marques como Mufasa, André Maia é quem dá voz a Timon e José Raposo dá voz a Pumba.

Um filme para toda a família, cheio de música e com uma história de vida. Não há muito mais para dizer de "O Rei Leão" a não ser que é um filme para ver, rever e voltar a ver. É um filme que já marcou várias gerações e que irá fazê-lo por muito mais tempo. Aconselho absolutamente a verem, excelente.



5*

terça-feira, 17 de julho de 2012

Magic Mike



"Magic Mike" não é um filme sobre o mundo do strip, mas sim um filme sobre os sonhos que temos na vida e o que temos de fazer para os agarrar. É um filme sobre como subir na vida, como seguir um sonho e surpreendeu-me pela positiva.

Mike (Channing Tatum) é um homem que tem o sonho de ser designer de mobiliário e para isso tem vários empregos e um deles é ser stripper, Mike trabalha no Clube Xquisite e lá é Magic Mike, o dançarino mais conhecido do bar. Entretanto ele conhece Adam (Alex Pettyfer) que está com dificuldades em encontrar emprego e leva-o a sair a uma discoteca e tem a ideia de o levar para o clube.

Já no clube Adam é "Kid", o mais novo dançarino do bar onde Mike trabalha, entretanto Mike apresenta Adam a Dallas (Matthew McConaughey), o dono do clube. Dallas surpreende-se com os dotes de "Kid" e contrata-o. Neste clube onde a diversão reina e as mulheres aproveitam para se divertirem, trabalham também Tobias (Gabriel Iglesias), "Big Dick Richie" (Joe Manganiello), Ken (Matt Bomer), "Tarzan" (Kevin Nash) e Tito (Adam Rodriguez).

Nestes três loucos meses, Mike começa a perceber que não é assim tão fácil arranjar crédito para dar início à sua desejada empresa e ao seu sonho. Aventuras, sexo, dança, strip, amor, dinheiro e diversão são algumas das vivências que Mike tem à mão, mas apaixona-se pela irmã de Adam, Brooke (Coddy Horn) e tudo corre bem até que este amor interfere com o trabalho noturno de Mike. Entretanto, Adam e Mike progridem com o trabalho. Joanna (Olivia Munn), Liz (Kate Easton) e Nora (Riley Keough) são algumas das visitantes do clube, onde Mike ganha dinheiro para realizar o seu sonho.

É um filme muito bom, com uma história interessante e engraçada. "Magic Mike" surpreendeu-me pela positiva, pois pensava que seria um filme apenas sobre fazer strip, mas tem uma boa história e um bom argumento. O filme mostra bem não só as vantagens de ganhar dinheiro fácil, mas também as desvantagens que o mundo do strip pode trazer. É um filme que mostra bem esse mundo e é interessante de se ver, mas pode ser ainda mais interessante para as mulheres. É um filme muito bom, com um bom elenco e com um grande realizador. Mike tem uma proposta de se mudar para Miami com a sua equipa e lá poderá ganhar muito mais, é um filme interessante.

"Magic Mike" é realizado por Steven Soderbergh, realizador do excelente "Contágio" e tem argumento de Reid Carolin. "Magic Mike" conta no elenco com os nomes de Channing Tatum, Alex Pettyfer, Matthew McConaughey, Coddy Horn, Joe Manganiello, Matt Bomer, Kevin Nash, Adam Rodriguez, Gabriel Iglesias, Olivia Munn, Kate Easton e Riley Keough. Este filme de 2012 partiu de uma ideia de Channing Tatum, que foi stripper no início da sua carreira.

Os pontos fracos do filme é o final ser um bocadinho abrupto, algumas cenas estarem mal gravadas, sendo uma delas a da praia, onde as ondas aparecem no corpo da atriz, parecendo que esta não tem corpo e é transparente e a classificação ser para maiores de doze anos, que penso que devia ser para maiores de dezasseis dado a algumas cenas. O ponto forte é mesmo a história ser mais do que aparenta ser, por isso recomendo que vejam "Magic Mike". Recomendo este filme, vejam.



4*