quinta-feira, 31 de maio de 2012

Cosmopolis



"Cosmopolis" é um filme confuso e estranho, mas isso é sinónimo de David Cronenberg. O filme está muito bom e a ideia de vermos o mundo a colidir do lado de dentro de uma limusina é extraordinária. É um filme sobre crise, dinheiro, economia, sexo e poder.

Robert Pattinson é o filme e mostra mais uma vez que se está a afastar da sua personagem da Saga Twilight, da qual sou fã. O filme vive à base do ator que está bem no papel, a realização está perfeita e a história frenética. Um filme com algumas falas rápidas e que se nos perdermos não o percebemos, é preciso estar atento enquanto se vê o filme.

Eric Packer (Robert Pattinson) é um milionário que faz da sua vida um microcosmos obsessivo e violento do mundo de hoje em dia. "Cosmopolis" é uma obra frenética e visual, numa unidade de tempo e lugar - 24 horas por Nova Iorque.

David Cronenberg está de parabéns, Robert Pattinson e Paulo Branco, que é produtor do filme, estão também de parabéns. Eric é o símbolo da crise, da fortuna, da queda da economia, do poder e até do dólar face ao yuan, que é a moeda chinesa.

"Cosmopolis" tem uma história interessante, mas não é perfeito. Para mim alguns dos defeitos são ser grande demais e por vezes ser monótono. Mas a vida nem sempre é cor-de-rosa, também é monótona e complicada. A frase do filme é "a minha próstata é assimétrica", pois é proferida pela personagem principal bastantes vezes. O filme ainda mostra um casamento por conveniência e acompanha os seus momentos, aqui simbolizados pelo pequeno-almoço, almoço e jantar, sendo uma espécie de início, meio e fim.

O sexo, o poder e o dinheiro fazem parte do filme que tem cenas fortes e frenéticas. O final tem, na minha opinião, duas visões: Ou o personagem encontrou-se com o seu futuro, ou encontrou-se com um juiz da sua vida, mas vejam o filme para o perceberem.

É uma história repleta de personagens secundárias, mas com um menor brilho face ao protagonista. "Cosmopolis" é um filme de 2012, com realização e argumento de David Cronenberg, produzido pelo português Paulo Branco e protagonizado por Robert Pattinson. No elenco podemos contar ainda com Samantha Morton, Jay Baruchel, Paul Giamatti, Kevin Durand, Juliette Binoche, Sarah Gadon, Mathieu Almaric, Patricia McKenzie, George Touliatos e Philip Nozuka.

"Cosmopolis" é claustrofóbico, arrepiante e por vezes mete medo. É um filme sobre o capitalismo e está bem conseguido, onde o dinheiro e o tempo são essenciais. Um filme cuja intenção é ser anticapitalista e alertar as pessoas para a crise e para os perigos que esta trará. E tudo começa quando o protagonista quer cortar o seu cabelo, um filme sobre mudanças e sobre o presente. E tudo se resume à citação inicial do filme: "A ratazana tornou-se a moeda de troca", Zbigniew Herbert. Deixo-vos aqui o teaser e o trailer, veja o filme e fiquem atentos. "Cosmopolis" é isto tudo e muito mais, pois vive de pequenos pormenores.





4*

quarta-feira, 30 de maio de 2012

O Ditador



"O Ditador" (título português) é um filme com muita piada, que nos faz rir e descontrair. Mas apesar de nos fazer rir, tem algumas piadas estúpidas e para mim não chega a ser excelente. O General Almirante Shabazz Aladeen (Sacha Baron Cohen) é um dos mais excêntricos e egocêntricos ditadores que o mundo já alguma vez viu e é conhecido pela sua indestrutível barba, por dormir com centenas de celebridades ávidas pelo seu dinheiro e por organizar e determinar os seus próprios Jogos Olímpicos. É um filme qu está mesmo muito bom.

Aladeen atrai a atenção internacional quando surgem novidades acerca do seu programa secreto nuclear e depois de algumas peripécias ele encontra-se sozinho e sem dinheiro nas ruas de Nova Iorque. Mas a sua força de vontade para recuperar o poder e afastar a democracia do seu país oprimido, não o desanima! Ao longo da viagem tem a ajuda de Zoey (Anna Faris, que está completamente diferente) e de Nadal (Jason Mantzoukas).

O filme vive de Sacha Baron Cohen que nos traz a grande parte das cenas cómicas do filme. Não tenho muito mais a dizer de "The Dictator" (título original), filme realizado por Larry Charles e com argumento de Sacha Baron Cohen, Alec Berg, David Mandel e Jeff Schaffer. Neste filme de 2012 ainda pode contar com Ben Kingsley, Bobby Lee e Sayed Badreya, entre outros. O filme conta ainda com Megan Fox, que aparece como ela própria. Um filme com piadas, trocadilhos e cheio de boa disposição.

Não tenho muito mais a dizer sobre este filme repleto de comédia, vejam. Para mim está muito bom, deixo-vps aqui os dois trailers do filme.





4*

quinta-feira, 24 de maio de 2012

À Segunda Não Me Escapas



"À Segunda Não Me Escapas" (título nacional) é um bom filme, dá para rir e dá para divertir um bocado. É um filme divertido para passar uma boa tarde no cinema, mas tem falhas e podia ser muito melhor. Este filme tem piadas um bocado parvas, mas tem cenas completamente hilariantes. Tem ação, comédia e uma pitada de romance.

Stephanie Plum (Katherine Heigl) é capaz de tudo para conseguir dinheiro rápido, mas com todas as opções esgotadas, ela tenta um último recurso, ser caçadora de recompensas. A verdade é que ela nem um par de algemas têm e a sua arma preferida é o spray-pimenta, mas nem isso a vai deter; Stephanie está determinada a 'capturar' o homem mais procurado pela empresa do primo: Joe Morelli (Jason O'Mara) , um ex-polícia suspeito de assassinato, que a seduziu e abandonou nos tempos de liceu. Mas à medida que o caso contra Morelli se desenrola, ela vai descobrindo variados segredos, apercebendo-se que, afinal, o seu novo trabalho não é tão fácil como parecia.

"One For the Money" (título original) foi realizado em 2011 por Julie Anne Robinson, que dirigiu o filme "A Melodia do Adeus", tem argumento de Stacy Sherman, Karen Ray e Liz Brixius e é baseado no livro de Janet Evanovich. O filme que apenas estreou esta semana em Portugal conta no elenco com Katherine Heigl, Jason O'Mara, Daniel Sunjata, John Leguizamo, Sherri Sheperd, Annie Parisse, Ryan Michelle Bathe, Debbie Reynolds, Debra Monk, Ana Reeder e Gavin-Keith Umeh, entre outros atores.

O filme surpreendeu-me por me ter surpreendido, ou seja, por não ter um final tão óbvio como eu pensava que iria ter, mas teve um final que o fez. É um bom filme, mas vai ter um destino óbvio, que é ser passado nas televisões generalistas a um fim de semana à tarde, o que pode ser bom para o seu reconhecimento pois a TV não passa apenas maus filmes. Vejam e aproveitem um bom momento no cinema, divirtam-se.



3*

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Sombras da Escuridão


Finalmente deixo aqui a minha crítica a "Sombras da Escuridão", o novo filme do grande e esplendoroso Tim Burton. "Sombras da Escuridão" (título português) dividiu a crítica e o público. Para mim o filme está excelente, irreverente e mesmo apesar de ser adaptação de uma série dos anos 60 achei o filme original.

Tudo começa quando Barbanas (Johnny Depp) chega a Collinsport, no Maine. Ele é o dono da mansão Collinwood, é rico, poderoso e um playboy inveterado. Até que comete o grave erro de partir o coração a Angelique Bouchard (Eva Green), uma bruxa, em todos os sentidos da palavra. Angelique amaldiçoa-o com um destino pior que a morte: torna-o num vampiro e enterra-o vivo. Dois séculos depois, Barbabas é inadvertidamente libertado do seu túmulo e emerge num mundo muito diferente do seu, no ano 1972. Ele regressa à mansão que os pais construiram e descobre que a outrora grandiosa mansão Collinwood caiu em ruína. Os restantes membros da disfuncional família Collins saíram-se um pouco melhor, cada um escondendo os seus próprios segredos obscuros. A matriarca Elizabeth Collins Stoddard (Michelle Pfeiffer) chamou para viver consigo a psiquiatra Dr Julia Hoffman (Helena Bonham Carter) para a ajudar com a sua problemática família. Também residem na mansão a sua filha adolescente rebelde Carolyn Stoddard (Chloë Grace Moretz ), o irmão de Elizabeth, Roger Collins (Jonny Lee Miller), e o precioso filho deste, David Collins (Gulliver McGrath). Elizabeth contrata ainda Victoria Winters (Bella Heathcote) para ser perceptora das crianças e Barnabas contará com a ajuda de Willie Loomis (Jackie Earle Harley), o mordomo, para recuperar o tempo perdido.

Não tenho muito a dizer acerca do filme, pois achei o filme excelente. É um filme irreverente, tem uma história muito engraçada, tem personagens únicas, tem uma excelente caraterização da época e sendo um filme de Tim Burton a caraterização ficou ainda melhor. Adorei, Johnny Depp foi tão cómico, tão bizarro no bom sentido, tão excelente e trouxe-nos cenas muito cómicas, como a da TV. O filme ainda nos traz variadas surpresas, os desempenhos de Eva Green, Michelle Pfeiffer e Chloë Grace Moretz foram excelentes e esta última foi para mim a personagem que me deu a maior surpresa no filme. A personagem que Helena Bonham Carter interpretou é, sem dúvida, muito cómica. A personagem de Bella Heathcote também traz surpresas, o final do filme está repleto de surpresas e a personagem que para mim menos se destacou foi a de Jonny Lee Miller. As personagens de Gulliver McGrath e de Jackie Earle Harley também estão bem caraterizadas e também nos oferecem cenas cómicas. "Sombras da Escuridão" é um filme para toda a família, aconselho a verem. Para mim é ainda melhor que "Eduardo Mãos de Tesoura", que está muito bom.

"Dark Shadows" é um filme de 2012 realizado por Tim Burton e com argumento de Seth Grahame-Smith. O filme tem um excelente elenco como já mostrei, vejam. Achei genial a ideia de Alice Cooper aparecer no filme, achei adorável a casa da família e adorei a banda sonora do filme, portanto aconselho a verem e ouvirem os créditos finais. Adorável, bizarro, estranho, excelente, cómico, louco, brutal, boas interpretações e boa realizador, são várias das excelentes coisas que vejo em "Sombras da Escuridão". Portanto aconselho a verem, recomendo.



5*

terça-feira, 8 de maio de 2012

Os Vingadores

 


Simplesmente adorei, está excelente e tem uns efeitos visuais estrondosamente excelentes. O 3D é muito bem usado, o 3D é quase perfeito e a ideia de juntar vários super-heróis num filme é sem dúvida uma excelente ideia. Para mim os únicos defeitos não têm que ver com o filme, apenas com duas coisas os óculos 3D que usei colocavam a imagem um pouco mais escura e as legendas estavam em amarelo, mas isso não é importante referentemente ao excelente filme que é.

"Os Vingadores" (título nacional) é um filme que nos trás alguns heróis muito conhecidos. No momento em que aparece um inesperado inimigo que ameaça a segurança global, Nick Fury (Samuel Jackson), o Diretor da agência internacional que assegura a paz mundial conhecida como S.H.I.E.L.D, vê-se na necessidade de recrutar uma equipa capaz de salvar o planeta do desastre iminente. Por todo o globo, uma audaz força de recrutamento é iniciada. Para o ajudar chegam Tony Stark ou Homem de Ferro (Robert Downey Jr), Steve Rogers ou Capitão América (Chris Evans), Bruce Banner ou Hulk (Mark Ruffalo) que foi na minha opinião o melhor Hulk até agora, Thor (Chris Hemsworth), Natasha Romanoff ou Viúva Negra/Black Widow (interpretada pela belíssima Scarlett Johansson) e Clint Barton ou Hawkeye/Gavião Arqueiro (Jeremy Renner). A ajudar Fury estão ainda o agente Phil Coulson (Clark Gregg) e a agente Maria Hill (Cobie Smulders).

"The Avengers" (título original) é um filme deste ano (2012), realizado por Joss Whedon e com argumento do mesmo. O filme conta ainda com Tom Hiddleston no papel de Loki, Stellan Skarsgård como o professor Erik Selvig e Gwyneth Paltrow como Pepper Potts. "Os Vingadores" bateu recordes de bilheteira nos Estados Unidos da América e em Portugal, é sem dúvida um blockbuster que vai ficar na história pelos seus grandiosos resultados. Veja aqui a crítica a "Thor", um dos filmes dos vingadores.

Penso que a Viúva Negra já merecia um filme próprio, a bela Scarlett Johanson está excelente e Cobie Smulders como Maria Hill também tem um bom desempenho. O 3D de "Os Vingadores" está excelente, a história muito boa, os heróis e heroínas são perfeitos, as cenas de ação deixam-nos quase sem fôlego, com o 3D ganhamos profundidade, um filme para ver e é um excelente filme. Deixo aqui um pequeno aviso, não saia da sala antes dos créditos pois terá uma surpresa. E não tenho mais nada a dizer para além de dizer que é um excelente filme, aconselho vivamente a verem.



5*