terça-feira, 25 de setembro de 2012

Viagem ao Centro da Terra 2: A Ilha Misteriosa



Depois de uns dias de pausa estou de volta com a minha análise ao filme "Viagem ao Centro da Terra 2: A Ilha Misteriosa", título nacional. Tudo começa quando Sean Anderson (Josh Hutcherson) recebe um sinal de socorro codificado vindo de uma misteriosa ilha e decide procurar este local. Mas não vai só, o seu padrasto Hank (Dwayne Johnson) tem de o acompanhar.

Para chegarem ao destino têm de viajar com Gabato (Luis Guzmán), o piloto de helicópteros de Palau que os levará à ilha, e com a sua filha Kailani (Vanessa Hudgens). Várias peripécias acontecem e já na ilha encontram Alexander (Michael Caine), o avô de Sean.

Este é um filme divertido, com uma história engraçada e é sem dúvida um filme para toda a família. Ao bom elenco que o filme nos oferece juntam-se efeitos especiais bem conseguidos, algumas paisagens maravilhosas e algumas cenas cómicas. Apesar de não ter visto o filme em 3D vi-o bem na versão normal, resumindo é um bom filme que serve para nos entreter.

"Journey 2 - The Mysterious Island", título original, é um filme realizado por Brad Peyton e com argumento de Brian e Mark Gunn. No elenco contamos com Josh Hutcherson, Dwayne Johnson, Vanessa Hudgens, Luis Guzmán, Michael Caine e Kristin Davis. Este filme de 2012 foi baseado no livro "A Ilha Misteriosa" escrito por Júlio Verne, pode também ver a crítica a "Viagem ao Centro da Terra" neste blog.



3*

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Martha Marcy May Marlene



"Martha Marcy May Marlene" é um filme de 2011 com realização e argumento de Sean Durkin, que conta no elenco com Elizabeth Olsen, John Hawkes, Sarah Paulson, Hugh Dancy, Christopher Abbott, Brady Corbet, Maria Dizzia, Louisa Krause e Julia Garner, entre outros.

É um filme que nos faz pensar e que apesar de ter uma história um bocado confusa é muito boa. "Martha Marcy May Marlene" conta com um elenco brilhante, principalmente Elizabeth Olsen que provavelmente é melhor atriz que as irmãs, Mary-Kate e Ashley Olsen.

Tudo começa quando Martha (Olsen) foge da seita onde vivia e se reencontra com a sua irmã Lucy (Paulson), a qual já não via há algum tempo.

A história de Martha na comunidade onde vivia é-nos contada através de flashbacks, que apesar de parecerem confusos não o são. Acompanhamos Martha no presente e passado recente, onde era tratada por Marcy May, descobrindo o porquê da fuga.

Através da personagem principal percebemos que na vida adaptarmo-nos pode ser dificil, mesmo com uma mudança de rotina as coisas podem ficar diferentes. Foi que aconteceu com Martha, que mudou completamente de vida de um lugar fechado e intimista para um mundo com mais liberdade.

John Hawkes está intimidador como líder da seita, a sua presença mete respeito e nota-se que a sua personagem Patrick é autoritária. Sarah Paulson mostra-nos um ladro maternal, terno e meigo. Mesmo nas personagens se nota a diferença entre os dois mundos, contudo o passado pode-nos perseguir.

Mas a chave de ouro de "Martha Marcy May Marlene" é Elizabeth Olsen que está perfeita, sendo credível mesmo nos momentos de paranóia. Martha transmite-nos drama, dor e um pouco de felicidade.

O final do filme é abrupto, mas mostra-nos que poderá haver esperança para Martha sendo a passagem para uma nova etapa da vida. A não perder, vejam.



4*

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

O Motel



Tudo começa quando o carro de um casal de futuros divorciados se avaria no meio do nada e estes têm de pernoitar num velho motel... Já no quarto descobrem um leque de vídeos onde estão gravadas mortes, aparentemente feitas no mesmo quarto. Agora têm de fazer tudo para sobreviver...

"O Motel", título nacional, é um filme que está repleto de suspense e muitos sustos. Resumidamente é um filme que nos deixa de nervos em franja, coloca-nos no lugar das personagens. Apesar de ter alguns twists é porém um pouco previsível, já Kate Beckinsale e Luke Wilson estão bem nos principais papéis. O pior do filme é o final, pois era um pouco fosco (um pouco sem brilho) esperava um pouco mais.

"Vacancy", título original, é um filme de 2007, realizado por Nimród Antal, produzido por Hal Lieberman e com argumento a cargo de Mark L Smith. No elenco principal contamos com Kate Beckinsale, Luke Wilson e Frank Whaley.

Será que o casal sobreviverá? Será que Amy (Beckinsale) e David (Wilson) irão fazer as pazes? Veja "O Motel" e descubra...



4*

sábado, 8 de setembro de 2012

O Discurso do Rei



Depois de uns dias de férias o blog "Os Filmes de Frederico Daniel" está de volta com a análise do filme "O Discurso do Rei" (título nacional) que nos mostra a história do Rei George VI (Colin Firth), do seu problema de gaguez e da sua subida ao trono de Inglaterra. É um filme bastante simples mas excelente, com um elenco magnífico e uma boa caracterização da época e das personagens. Eu comecei a ver o filme sem nenhuma expectativa, pois pensava que iria achá-lo aborrecido. Porém surpreendeu-me bastante pela positiva.

"The King's Speech" (título original) é um filme de 2010 realizado por Tom Hooper e com argumento de David Seidler, ambos receberam em 2011 o Óscar de Melhor Realizador e o Óscar de Melhor Argumento Original respetivamente. No elenco contamos com Colin Firth, Helena Bonham Carter, Derek Jacobi, Geoffrey Rush, Calum Gittins, Jennifer Ehle, Dominic Applewhite, Ben Wimsettt, Freya Wilson, Ramona Marquez, Michael Gambon, Guy Pearce, Claire Bloom, Eve Best e Timothy Spall, entre outros.

Baseado em factos verídicos, o filme aproxima-nos mais da história, podendo (ou não) criar em nós um querer saber mais sobre a história. Como já disse "O Discurso do Rei" caracterizou bem os anos retratados e achei genial terem incluido pelo menos um vídeo real no meio do filme e a caracterização dos atores está também excelente, Helena Bonham Carter está perfeita, Colin Firth também e notam-se algumas semelhanças entre Guy Pierce e Edward VIII, a sua personagem.

Colin Firth mereceu sem dúvida alguma o Óscar de Melhor Ator, pois 'carrega o filme às costas' e mostra-nos uma personagem que não desiste, façamos vénia a este desempenho. Já Geoffrey Rush, embora noemado, não venceu o Óscar de Melhor Ator Secundário com a sua personagem Lionel Logue, a ultrapassar o seu problema de gaguez e proferir o seu importante e determinante discurso. Por tudo isto recomendo "O Discurso do Rei" vencedor também do Óscar de Melhor Filme em 2011. Definitivamente a não perder, vejam.



5*