segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Alice no País das Maravilhas



Não me lembro se quando era mais novo vi ou não "Alice no País das Maravilhas" (título nacional), mas revi este filme e gostei muito da história. Os clássicos da Disney para mim foram e sempre serão dos melhores filmes de animação que alguma vez veremos.

A história deste filme está muito boa e é interessante, este deve ser visto por todos e não só pelos mais novos. É um filme que nos transmite uma moral, que a meu ver é "sonhando consegues construir qualquer coisa".

"Alice in Wonderland" (título original) é um filme de 1951, com realização tripartida por Clyde Geronimi, Wilfred Jackson e Hamilton Luske. Baseado no livro homónimo de Lewis Carrol, esta história traz até nós um mundo mágico repleto de personagens especiais como o Coelho Branco, o Chapeleiro Louco, o Mestre Gato, a Lebre Maluca, a Lagarta, o Dodô e a Rainha de Copas, entre outros.

É um filme com uma mensagem para todos e essa mensagem é para não desistirmos dos nossos sonhos, para acreditarmos em nós. Já Lewis Carrol dizia: "Tudo tem uma moral, se a encontrarmos." Por falar muito dos sonhos é um pouco "A Origem" para os mais novos e muito mais fácil de entender.

Mas o filme fala também do poder da monarquia, aqui demonstrado através da personagem Rainha de Copas. Fala também do ensino, do crescimento e é uma fábula muito engraçada.

"Alice no País das Maravilhas" é um filme com boas músicas, com uma história muito boa e diverte quem o vir. Vi dobrado em português e algumas das vozes já são conhecidas dos vários filmes de animação. Recomendo este filme, pois está muito bom.



4*

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Despojos de Inverno



Este "Despojos de Inverno" (título nacional) foi para mim muito aborrecido, cheguei mesmo a pensar desistir de o ver. Mas lá vi o filme todo e considero-o razoável.

A história não está má, contudo não me cativou muito. O filme é demasiado monótono e por a história ser um pouco pesada a história torna-se maçador. O filme tem uma hora e quarenta e, na minha opinião, causou enfado, deixando-me entediado.

Apesar de "Winter's Bone" (título original) ser aborrecido tem algumas coisas favoráveis, como exemplo temos o bom desempenho de Jennifer Lawrence como Ree. A atriz mostra neste filme e em "The Hunger Games - Os Jogos da Fome" que é uma das mais requisitadas atrizes da atualidade.

Em "Despojos de Inverno" a personagem Teardrop, interpretada por John Hawkes, apesar de estar parecida com a sua personagem em "Martha Marcy May Marlene" não chega a esse nível, contudo o ator oferece-nos um desempenho bom.

Gostei também da banda sonora e por último o tom realista que a história nos oferece é uma das razões pelas quais não deixei de ver o filme a meio. Há partes que parecem mesmo reais, por exemplo, as cenas dos esquilos e do rio.

Fiquei um pouco desiludido por não sabermos o grande segredo do filme, pois esperava que revelassem quem era o verdadeiro culpado pela morte. Este filme de 2010 foi realizado por Debra Granik e conta com argumento da mesma e de Anne Rosellini e é baseado no livro de Daniel Woodrell.



2*

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

(REC) 3 Genesis



A história desenrola-se no casamento de Clara (Leticia Dolera) e Koldo (Diego Martín) que acompanhados da sua família e amigos festejam, mas algo terrível acontece e quem viu os outros filmes percebe que a carnificina está prestes a começar.

A história de "(REC) 3 Genesis", título nacional, por se passar num casamento está mais romântica, por vezes até de mais, mas a essência está lá. O amor que os noivos nutrem um pelo outro é-nos transmitido através da sua luta para se reencontrarem no meio dos convidados, que agora são criaturas monstruosas. O bom disto é que nos prende ao ecrã e torcemos para que Clara e Koldo se voltem a encontrar.

O contraste entre o início do filme em tom festivo e o resto do filme num estilo terror e suspense é notório. "[REC]³: Génesis", título original, está bom mas podia estar melhor. Este filme não está ao mesmo nível dos primeiros, sendo menos bom que esses.

O filme peca por não ter uma ligação forte aos seus antecessores, pois para quem não estiver com atenção não o consegue enquadrar na história de "[REC]" e "[REC] 2". A ligação mais visível aos filmes anteriores é uma mordidela de cão na mão de um personagem e umas frases no diálogo do padre (Xavier Ruano).

Este filme está diferente não só por ser passado noutro sítio mas também por ter abandonado quase totalmente o género found footage, o que nos reduz a capacidade de nos sentirmos no filme. Apesar de não nos sentirmos sempre dentro do filme há algumas, mas poucas, cenas que nos fazem sentir que estamos lá.

Contudo este filme de 2012 continua a ter uma coisa que os outros também tinham, que é sustos. "(REC) 3 Genesis" fez-me saltar várias vezes da cadeira, pois não previmos muitos destes sustos. Os zombies, ou melhor os infetados pelo vírus, estão bem caracterizados e são assustadores.

"(REC) 3 Genesis" é também muito religioso, pois rezando e atirando água benta às criaturas monstruosas pode ser possível conseguirmos sobreviver. Para quem não sabe Génesis é o primeiro livro da Bíblia e tratava a temática da criação do Mundo. No filme génesis, a meu ver, marca o início do caos e dá-nos informações sobre a origem do problema.

Algumas cenas são bem acompanhadas pela música e isso dá-nos a conhecer a banda sonora do filme, que na minha opinião, é boa. "(REC) 3 Genesis" traz-nos algumas cenas de terror que nos fazem rir talvez por serem um bocado parvas ou exageradas e oferece-nos um segmento que mistura perfeitamente terror e ação, que é a cena da motosserra.

O desenrolar do filme sobe de tom, sendo mesmo de cortar a respiração. As últimas cenas fazem-nos suspirar de alívio, mas zás algo acontece. Algumas cenas de terror deste filme são nojentas sendo mais hardcore que os filmes anteriores, outras são completamente exageradas.

"[REC]" e "[REC] 2" foram realizados por Jaume Balagueró e Paco Plaza, mas "(REC) 3 Genesis" é apenas dirigido pelo último. No elenco o destaque principal é para Leticia Dolera e Diego Martín que nos faz sentir química, já no elenco secundário há destaque para Àlex Monner, Ismael Martínez, Xavier Ruano, Emilio Mencheta e Claire Baschet.

Saí do cinema não com uma sensação de desilusão, mas com um pensamento de que podia estar melhor e podiam ter feito mais. Este filme deixa arestas por limar, faltam peças a este puzzle repleto de carnificina e deixa-nos a pensar o que se poderá passar no próximo filme. Ainda bem que tão depressa não vou a casamentos, é o pensamento que fiquei ao ver o filme.



3*

domingo, 7 de outubro de 2012

Noivas em Guerra



Liv (Kate Hudson) e Emma (Anne Hathaway) são as melhores amigas desde sempre e têm como sonho casarem em junho no Plaza de Nova Iorque, mas tudo muda quando os casamentos são marcados erradamente para o mesmo dia.

"Noivas em Guerra" (título nacional) é um filme divertido para se ver num domingo à tarde, tem momentos cómicos, faz-nos rir, tem uma história engraçada e transmite-nos uma mensagem.

O filme mostra que o amor nem sempre é forte, podendo terminar e uma amizade mesmo com alguns erros cometidos e alguma discussão quase sempre sobrevivendo.

Passei uma bela tarde a ver "Bride Wars" (título original) que nos traz Kate Hudson e Anne Hathaway sexys como sempre e boas atrizes, são elas que nos oferecem os momentos mais hilariantes do filme. Há alguma química entre as atrizes, mas poderia haver ainda mais.

Este filme de 2009 peca por ter alguns clichés e por possuir algumas cenas redundantes. Apesar de ser um pouco previsível pode-nos surpreender, como aconteceu comigo.

A história deste filme realizado por Gary Winick e com argumento de Greg DePaul, Casey Wilson e June Diane Raphael pode ou não fazer-nos pensar na amizade.

Para além do elenco principal, o secundário também nos oferece cenas cómicas e gostei também de Candice Bergen ser a narradora da história.



3*