quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

O Impossível



Este é sem dúvida um dos melhores filmes que já vi na vida e até agora é o melhor do ano, simplesmente excelente. Baseado numa história verídica, esta película mostra-nos de uma forma quase perfeita como uma família sobreviveu ao tsunami de 26 de dezembro de 2004.

Maria (Naomi Watts), Henry (Ewan McGregor) e os seus filhos Lucas (Tom Holland), Thomas (Samuel Joslin) e Simon (Oaklee Pendergast) vão de férias até à Tailândia, mas o imprevisto acontece. "O Impossível" está repleto de terror, medo e dor, mas também de compaixão, bondade e esperança.

A meu ver o melhor de "The Impossible" é a sequência do maremoto, pois está deveras realista e faz com que eu me tenha sentido lá. Sentimos o medo, a dor, a aflição e o tormento daquelas pessoas. Também adorei a cena do reencontro, pois é completamente comovente.

"Lo Imposible" é o primeiro filme que me vez chorar no cinema, pois até agora os únicos que me tinham feito chorar foram vistos em VHS e esses filmes são "O Rei Leão" e "Titanic". É quase impossível não chorar a ver "O Impossível", pois o realizador Juan Antonio Bayona conseguiu captar excelentemente os momentos mais tocantes e emocionantes. Por ser inspirado em factos verídicos esta história ainda me emocionou mais, a química entre Naomi Watts e Tom Holland também contribuiu para isso e os momentos mais emocionantes conseguiram-me verter lágrimas.

Os efeitos visuais e sonoros deste filme estão perfeitos, o impacto por mim sentido no cinema faz com que me tenha sentido parte da história. A história faz-nos pensar nas nossas vidas e valorizar a nossa família, os nossos amigos e a nós próprios.

Este filme está quase perfeito, mas tem algumas falhas e uma das que aponto é que deveríamos ter visto como é que Thomas e os seus dois filhos sobreviveram ao maremoto.

"Lo Imposible" estreou em Portugal a 17 de janeiro de 2013 e está nomeado apenas a um Óscar, o de Melhor Atriz Principal para Naomi Watts, que na minha opinião deve ser a vencedora deste prémio. Por falar em Óscares, a meu ver "The Impossible" merecia pelo menos mais três nomeações a esta estatueta: Melhor Filme, Melhor Realizador e Melhor Ator Principal para Tom Holland, que me surpreendeu com o seu distinto desempenho.

A banda sonora desta história, criada por Fernando Velázquez, está também muito boa e é bem colocada no filme. Do mesmo modo adoro a música One, interpretada por Damien Rice.

"O Impossível" é um filme de 2012, dirigido por Juan Antonio Bayona, com argumento de Sergio G Sánchez e baseado na história verídica de María Bélon. No elenco podemos contar com Naomi Watts, Ewan McGregor, Tom Holland, Samuel Joslin, Oaklee Pendergast, Samuel Joslin, Oaklee Pendergast, Jomjaoi Sae-Limh, Johan Sundberg, Sönke Möhring e Ploy Jindachote, entre muitos outros. Aconselho vivamente este filme, vejam.



5*

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Padre



Tem uma história engraçada, diverte e é um filme com bons efeitos especiais, contudo falha pois algumas coisas não têm nexo. Gostei muito da parte inicial, por ser gráfica e nos dar um pequeno resumo do que em tempos se passou.

"Padre", título nacional, parece previsível mas têm algumas surpresas. A meu ver agradou-me ser surpreendido em algumas partes do filme, pois assim não antecipamos o que poderá acontecer. O desempenho de Paul Bettany ("O Código Da Vinci") não está mau, mas o ator poderia ter trabalhado mais o seu papel.

"Priest", no original, é um filme de 2011 realizado por Scott Charles Stewart, com argumento de Cory Goodman e é baseado na novela gráfica de Min-Woo Hyung. No elenco podemos ainda contar com Karl Urban, Maggie Q, Cam Gigandet ("Crepúsculo") e Lily Collins, entre outros. Resumindo, este é um filme que se vê por diversão e que serve para distrair.



3*

sábado, 26 de janeiro de 2013

Visto do Céu

 


Gostei muito deste filme e achei a sua história original, aconselho. "Visto do Céu", título nacional, não está de todo perfeito contudo está muito bom. É um filme que nos fala de morte e do que poderá haver depois dela, que nos fala de perda mas também de alegria.

Este filme conta-nos a história da morte Susie Salmon (Saoirse Ronan), através da própria e o desempenho da atriz surpreendeu-me. A história é passada nos anos setenta e a caracterização da época está boa a meu ver, tal como a das personagens.

Em "The Lovely Bones", título original, ainda dou destaque à caraterização do local para onde Susie vai depois de morrer. O que também é favorável no filme são os efeitos visuais, onde destaco as passagens entre o lugar onde Susie permanece e a Terra.

Baseado no livro homónimo de Alice Sebold, esta película foi nomeada a um Óscar de Melhor Ator Secundário para Stanley Tucci que a meu ver teve um bom desempenho, tal como Susan Sarandon. Por outro lado, AJ Michalka e Jake Abel têm personagens que de quase nada serviram.

"Visto do Céu" é um filme de 2009, dirigido por Peter Jackson e com argumento a cargo de Fran Walsh, Phillippa Boyens e do próprio realizador. No elenco podemos contar com Saoirse Ronan, Mark Wahlberg, Rachel Weisz, Susan Sarandon, Stanley Tucci ("The Hunger Games - Os Jogos da Fome"), Michael Imperioli, Rose McIver, Christian Thomas Ashdale, Reece Ritchie, Carolyn Dando, Nikki SooHoo, Andrew James Allen, John Jezior, Jake Abel ("Percy Jackson e os Ladrões do Olimpo" e "Sou O Número Quatro") e AJ Michalka, entre outros.



4*

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

00:30 A Hora Negra



Este filme é muito mas muito aborrecido, contudo tem uma história no mínimo interessante. No geral "00:30 A Hora Negra", título nacional, é um filme razoável. Não é uma história fácil de ver, tem alguma violência e é demasiado grande, o que o torna enfadonho.

Os pontos altos deste filme são o desempenho do elenco, a história estar dividida por capítulos e estarem incluídas imagens reais no filme. Por ser baseado em factos verídicos o filme torna-se mais realista, mas para mim o melhor é mesmo Jessica Chastain.

"Zero Dark Thirty", título original, está nomeado a cinco Óscares da Academia: Melhor Filme, Melhor Atriz Principal para Jessica Chastain, Melhor Argumento Original para Mark Boal, Melhor Montagem e Melhor Edição de Som. Apesar de não ter gostado muito deste filme de 2012, penso que ainda vai dar muito que falar e na minha opinião devia de ter um pouco menos de teoria e mais ação.

"00:30 A Hora Negra" estreou no nosso país a 17 de janeiro de 2012 e é realizado por Kathryn Bigelow, que a meu foi uma mulher de coragem por ter realizar este filme. Com argumento a cargo de Mark Boal, este filme conta no elenco com Jessica Chastain ("A Árvore da Vida"), Jason Clarke, Kyle Chandler ("Super 8"), Reda Kateb, Harold Perrineau (da série "Wedding Band"), Jennifer Ehle ("O Discurso do Rei" e "Contágio"), Nour Alkawaja, Nour Alkawaja, Scott Adkins ("Os Mercenários 2"), Lauren Shaw, Mark Strong ("Sherlock Holmes), Taylor Kinney (da série "Chicago Fire"), Chris Pratt ("O Corpo de Jennifer"), Callan Mulvey e Joel Edgerton, entre outros atores.



2*

domingo, 20 de janeiro de 2013

Puro Aço



Adrenalina, ação, divertimento, euforia e entretenimento são algumas das coisas que este filme me proporcionou. No geral tem uma história muito boa e gostei muito de ver este filme, "Puro Aço" (título nacional) fez com que eu ficasse agarrado ao ecrã até ao fim. A meu ver este filme conseguiu misturar muito bem drama e ação, aconselho a ver. Adorei as cenas das lutas de robôs, pois parecem muito reais e proporcionam bons efeitos visuais e sonoros. Gostei também da química entre Hugh Jackman, Dakota Goyo e Evangeline Lilly.

"Real Steel" (título original) é um filme de 2011, realizado por Shawn Levy e com argumento de John Gatins ("Decisão de Risco"). No elenco podemos contar com Hugh Jackman ("Os Miseráveis"), Dakota Goyo, Evangeline Lilly, Anthony Mackie, Kevin Durand ("Sou O Número Quatro" e "Cosmopolis"), Hope Davis, James Rebhorn, Karl Yune e Olga Fonda, entre outros. Este é sem dúvida um filme a rever, muito bom mesmo.



4*

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Albert Nobbs



Para mim este é um mau filme, tem uma história aborrecida e foi-me fastidioso vê-lo de tão enfadonho ser. "Albert Nobbs" deixa muito a desejar, muitas cenas estão super escurecidas e deixa-nos sem saber mais sobre a personagem principal. A meu ver, esta película estreada em Portugal em fevereiro de 2012, é para esquecer e não rever. Mia Wasikowska está apagada, a personagem interpretada por Jonathan Rhys Meyers não acrescenta absolutamente nada à trama e na minha opinião o menos mau disto tudo são os desempenhos de Gleen Close e Janet Mcteer.

"Albert Nobbs" é um filme de 2011 realizado por Rodrigo García e tem o seu argumento a cargo de Gleen Close, a atriz principal do filme. No elenco podemos contar com Glenn Close, Mia Wasikowska, Mark Williams, Jonathan Rhys Meyers, Aaron Taylor-Johnson, Janet McTeer, Bronagh Gallagher, Pauline Collins e Maria Doyle Kennedy.



1*

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Decisão de Risco



Gostei de ver o filme, mas deixou a desejar. "Decisão de Risco", título nacional, não é fácil de se ver devido à sua história e ao seu ambiente ser um pouco pesado. Contudo tem um enredo interessante, é um filme bom e tem um bom elenco.

Para mim o melhor deste filme é o desempenho de Denzel Washington como Whip Whitaker, gostei também da sequência da queda do avião pois arrepiou-me e colocou-me no lugar dos passageiros. Achei também interessante haver personagens que nada têm a ver com o acidente, mas que são importantes na história e isso acontece com Nicole, personagem interpretada por Kelly Reilly.

O pior do filme é ser longo de mais, tornando-se aborrecido e parado. O filme poderia ser menos melancólico, ainda assim compreendo que tenha de ter melancolia presente. Algumas coisas tornam-se repetitivas nesta história, tornando-se redundante.

Estreado em janeiro de 2013 em Portugal, este filme foi realizado por Robert Zemeckis ("Um Conto de Natal") e o seu argumento está a cargo de John Gatins. "Flight", título original, conta no elenco com Denzel Washington ("O Livro de Eli"), Tamara Tunie, Nadine Velazquez, Brian Geraghty, Justin Martin, Garcelle Beauvais, John Goodman, Don Cheadle, Bruce Greenwood, Conor O'Neill e Kelly Reilly ("Sherlock Holmes" e "Sherlock Holmes - Jogo de Sombras"), entre outros. "Decisão de Risco" está nomeado a dois Óscares: Melhor Ator Principal e Melhor Argumento Original.



3*

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Um Sonho de Rapariga



Tudo começa quando Kim (Felicity Jones) vai trabalhar para o chalet de uma família rica, "Um Sonho de Rapariga" (título nacional) é um filme engraçado, tendo uma história agradável. Com belas paisagens e com um grande ator no elenco, Bill Nighy.

Gostei que o filme retratasse um dos desportos que mais aprecio, o snowboard, que apesar de não praticar acho interessante e penso que a entrada de Tara Dakides, uma snowboarder, como ela própria no filme é bom. "Chalet Girl" (título original) não é perfeito e aponto-lhe as principais falhas: Tem demasiados clichés, é um pouco redundante, tem algumas piadas parvas e/ou desnecessárias e é um bocado previsível.

"Um Sonho de Rapariga", filme de 2011, foi realizado por Phill Trailer e tem Tom Williams como argumentista. No elenco contamos com Felicity Jones, Bill Nighy ("Harry Potter e os Talismãs da Morte - Parte 1"), Bill Bailey, Brooke Shields, Tamsin Egerton, Ed Westwick (da série "Gossip Girl" e do filme "J Edgar"), Rebecca Lacey, Sophia Bush, Nicholas Braun, Ken Duken e Georgia King, entre outros.



3*

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Os Miseráveis



Este foi o primeiro filme vi no cinema este ano e está excelente. "Os Miseráveis" (título nacional) tem uma história tensa e avassaladora, tem um excelente elenco e é um dos melhores musicais que vi nos últimos tempos. Obriga-nos pensar, faz-nos cantarolar as suas músicas e oferece-nos um misto de emoções e sentimentos.

Arrebatou-me por completo devido à sua poderosa história, por causa das grandes músicas cantadas e por quase me ter feito chorar e raros filmes me fazem isso. "Les Misérables" (título original) passa-se em França no século XIX e conta uma história de sonhos desfeitos, paixão, luta, sacrífico e procura da liberdade.

O filme mostra-nos várias fases da vida de Jean Valjean, personagem interpretada por Hugh Jackman, que tem aqui um desempenho excelente. Russell Crowe como o temível Javert e Anne Hathaway como Fantine são outras das distintas personagens de "Os Miseráveis". Por seu lado, Amanda Seyfried e Helena Bonham Carter continuam perfeitas como sempre. E ainda as surpresas que o elenco me ofereceu: Samantha Barks é deveras talentosa, Sacha Baron Cohen mostra que não vive apenas de filmes de comédia e surpreendeu-me com o seu papel, Eddie Redmayne como Marius foi também uma surpresa e Daniel Huttlestone está perfeito como Gavroche. Isabelle Allen como Cosette enquanto nova está magistral e também gostei de ver Natalya Angel Wallace, Aaron Tveit, Fra Free, George Bladgen e Colm Wilkinson no elenco.

Esta película está repleta de boas vozes e boas canções, algumas completamente arrepiantes como é o caso de "I Dreamed A Dream", cuja performance de Anne Hathaway me tocou profundamente no coração. "On My Own", "Do You Hear the People Sing", "Empty Chairs At Empty Tables" e "The Final Batle" são também perfeitas melodias, este filme é sem dúvida ótimo. "Les Miserábles" tem uma das melhores bandas sonoras que já ouvi, pois é fantástica.

"Les Miserábles" está magistral e é baseado numa das principais obras de Victor Hugo, que confesso não ter lido mas que está na minha lista de livros a ler. Uma história sobre a humanidade e a liberdade, sobre religião, pobreza e riqueza, é um filme que nos mostra vários lados do mesmo mundo. Uma das morais do filme, a meu ver, é que a vida tem muitas surpresas e nem sempre são boas, põe à vista um mundo em mudança e para tal proporciona-nos várias histórias dentro da grande história.

"Os Miseráveis" é um filme de 2012, realizado por Tom Hooper ("O Discurso do Rei") e com argumento de William Nicholson. Este filme estreado em Portugal a 03 de janeiro de 2013 está nomeado a oito Óscars: Melhor Filme (uma justa nomeação no meu ponto de vista), Melhor Ator Principal para Hugh Jackman, que acho merecidíssimo, Melhor Atriz Secundária para a excelente Anne Hathaway, Melhor Guarda-roupa para Paco Delgado, Melhor Maquilhagem e Cabelo para Lisa Westcott e Julie Dartnell, Melhor Canção Original por "Suddenly", Melhor Design de Produção e Melhor Mistura de Som.

"Os Miseráveis" não é um filme fácil de se ver, mas é daqueles que ficam para a história e nos fazem pensar nele durante dias e talvez tentar cantarolar algumas músicas deste. Apesar de "Les Miserábles" ser quase perfeito, tem pequenas falhas e uma das que aponto é que alguns diálogos cantados eram desnecessários. O filme demonstra também a morte como uma libertação, pois o nosso corpo fica livre deste mundo. A última cena em que Anne Hathaway entra é de arrepiar, já as últimas sequências de Russell Crowe e Hugh Jackman estão também muito boas.

"A liberdade é uma pupila. A liberdade é o órgão visual do progresso", Victor Hugo. "Os Miseráveis" é um filme a não perder, aconselho vivamente. Sentimental, intenso, magistral, perfeito e arrepiante, é um filme cinco estrelas, vejam. Acredito que vai ficar para a história e que daqui a alguns anos vai ser um clássico, amei este filme.



5*